A+ / A-

Autarca de Mação lamenta que ministro o tenha atacado em vez de expressar solidariedade

24 jul, 2019 - 15:34 • Lusa

Cabrita “"preferiu fazer um ataque pessoal e indigno" do que discutir a maneira como evitar que Mação e concelhos vizinhos sejam consumidos pelas chamas ano após ano”, diz Vasco Estrela.
A+ / A-

O presidente da Câmara de Mação lamentou esta quarta-feira que o ministro da Administração Interna o tenha "atacado pessoalmente", em vez de "expressar solidariedade a um concelho que teve 95% da área florestal ardida nos últimos dois anos".

Vasco Estrela disse à agência Lusa que recebeu com "surpresa, estupefação e até alguma mágoa" as palavras de Eduardo Cabrita, lamentando que o ministro "conviva mal com opiniões divergentes".

Confrontado numa entrevista à RTP com críticas de Vasco Estrela à falta de meios no combate aos incêndios que consumiam Mação e os concelhos vizinhos de Vila de Rei e Sertã, Eduardo Cabrita acusou o autarca de agir como "um comentador televisivo" e de não cooperar com os esforços da Proteção Civil.

"O presidente da Câmara de Mação, vejo com desgosto que aquilo que pensava ser uma perturbação motivada pela tensão da ocorrência que estava a passar-se no seu concelho, optou por não promover a ativação do plano municipal de emergência, não dar qualquer cooperação ao esforço de Proteção Civil e ser verdadeiramente um comentador televisivo, porque, a seguir a cada briefing, aparecia nas televisões a fazer comentários", criticou o ministro.

O autarca refuta as acusações do ministro, considerando que o governante "preferiu fazer um ataque pessoal e indigno" do que discutir a maneira como evitar que Mação e concelhos vizinhos sejam consumidos pelas chamas ano após ano.

Vasco Estrela manifesta disponibilidade para debater na praça pública a sua atuação no fim de semana e a política do Governo na área da Proteção Civil. "Não é um desafio, é uma sugestão. Vamos debater", refere o autarca.

O presidente de Mação manifestou ainda vontade de "manter um relacionamento institucional correto" com Eduardo Cabrita nos "meses que restam" de Governo.

"Sei distinguir o político do cargo que ocupa", garante, dizendo que enquanto responsável do executivo municipal pretende continuar a colaborar com o Ministério da Administração Interna, como aconteceu recentemente, quando a autarquia doou à GNR local uma viatura "praticamente" nova.

Em nome da segurança e bem-estar da população do seu concelho, Estrela diz que não quer alimentar mais polémicas com Eduardo Cabrita, "até porque o ministro, provavelmente, já se arrependeu do que disse", rematou.

Vários incêndios deflagraram no distrito de Castelo Branco ao início da tarde de sábado. Dois com origem na Sertã e um em Vila de Rei assumiram maiores dimensões, tendo este último alastrado, ainda no sábado, ao concelho de Mação, distrito de Santarém, tendo sido dominado na terça-feira.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joao Almeida
    24 jul, 2019 Aveiro 21:33
    queria mostrar a minha revolta por ter ouvido o ex-ministro jorge coelho que foi convidado na TVI para falar do bate boca entre o autarca de Moção e o Ministro A.I. e este tipo teve o desplante ao falar do assunto sorriu num momento em que disse que hoje já havia outro incêndio ...sorrir quando se fala destas tragédias é execrável para qualquer pessoa mas ainda pior sendo foi e quem é ..aprendeu a sorrir talvez na queda da ponte ou apredeu com chefe Costa