A+ / A-

Sertã. PJ admite mão criminosa no fogo e diz que autores quiseram "potenciar prejuízos"

21 jul, 2019 - 21:22 • Redação com Lusa

Elementos da diretoria do Centro da PJ estão no terreno e continuam a investigação à ocorrência.
A+ / A-

A Polícia Judiciária já recolheu indícios e elementos de natureza criminosa sobre o incêndio que deflagrou no sábado no concelho da Sertã, distrito de Castelo Branco, disse este domingo fonte oficial.

A mesma fonte adiantou que já foram recolhidos no terreno “alguns elementos e artefactos que poderão ter estado na origem do incêndio”.

Estes incêndios, sublinhou, tiveram da parte dos alegados autores um “conhecimento e preocupação significativa”, nomeadamente porque os pontos e o momento escolhido, “cerca das 14h40, foram de forma a potenciar prejuízos patrimoniais e até pessoais”.

Elementos da diretoria do Centro da PJ estão no terreno e continuam a investigação à ocorrência.

O incêndio no concelho da Sertã, que ao início da noite de hoje foi dado como dominado, dura há mais de 24 horas e mobiliza quase 300 operacionais e dois meios aéreos. Também no distrito de Castelo Branco, começou à mesma hora de sábado um incêndio na localidade de Fundada, Vila de Rei, que se estendeu depois ao concelho de Mação, permanecendo ativo há quase 29 horas e que está a ser combatido por 855 operacionais, apoiados por 262 viaturas e 15 meios aéreos.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.