A+ / A-

​Reitores admitem adequar vagas ao mercado de trabalho

17 jul, 2019 - 12:31 • Redação

Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas aponta a área digital como sendo uma das que tem mais procura.
A+ / A-

Veja também:


O presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) admite que as instituições precisam de adequar o número de vagas ao mercado de trabalho.

“Temos de fazer um esforço de racionalizar a nossa oferta internamente, as vagas, de acordo com o mercado de trabalho”, afirmou António Fontainhas, em entrevista à Renascença, no dia em que abriu a época de candidaturas ao Ensino Superior.

Nesta entrevista, refere que essa adequação já se verifica nalgumas instituições do interior do país.

“Nas áreas de ciências de dados e na área digital há uma enorme procura e esse é um bom aspeto a referir, porque, por exemplo, existem já algumas empresas privadas de grande dimensão na área da informática que se estão a localizar em regiões, como é o caso de Vila Real, e isso vai exigir mais estudantes nessas áreas”, diz.

A primeira fase de candidatura ao ensino superior começa esta quarta-feira e termina no início de agosto, com 50.860 vagas no concurso nacional de acesso, um total praticamente inalterado face a 2018.

Segundo dados oficiais divulgados esta quarta-feira, o número de vagas no concurso nacional de acesso deste ano é praticamente igual ao de 2018, quando foram a concurso 50.852 vagas.

No total, contabilizando também os concursos locais de acesso, os lugares disponíveis são 51.568.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.