A+ / A-

Polícia francesa detém 152 pessoas nas cerimónias do Dia da Bastilha

14 jul, 2019 - 16:23 • Lusa

A polícia francesa usou gás lacrimogéneo para afastar os manifestantes que protestavam contra o presidente Macron.

A+ / A-

A polícia francesa deteve hoje 152 pessoas, em Paris, durante as cerimónias de celebração do Dia da Bastilha, feriado nacional, informaram fontes municipais.

Segundo a agência espanhola EFE, que cita fontes da câmara municipal da capital francesa, a maioria foi detida por participar numa manifestação não autorizada, mas também houve detenções por atos violentos contra as autoridades, destruição de bens públicos e posse de armas.

Segundo a televisão CNews, dois dos detidos são Jérôme Rodrigues e Éric Drouet, destacadas figuras do movimento “coletes amarelos” que há meses contestam nas ruas as políticas de Macron.

A situação foi especialmente tensa no início da parada militar, na avenida dos Campos Elíseos, quando os manifestantes apuparam o presidente Emmanuel Macron e, no final, entoaram cânticos contra o capitalismo e contra o lançamento de gás lacrimogéneo.

"Quem tentou impedir o desfile devia ter vergonha. Hoje é um dia em que a nação de une e julgo que o país deve ser respeitado”, afirmou o ministro do interior francês Christophe Castaner, aos jornalistas.

O desfile contou com 67 aviões da Força Aérea francesa, 4.300 tropas a pé, 196 veículos militares, 237 tropas a cavalo e 40 helicópteros. Tal como todos os anos, desde 1980, o desfile começou no Arco do Triunfo e terminou na Praça da Concórdia.

Marcelo Rebelo de Sousa é um dos convidados presentes nas celebrações.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.