A+ / A-

"Temos de começar a prender esta malta", pede Bruno Lage após desacatos

13 jul, 2019 - 22:20 • Lusa

Águias venceram por 8-0. Bruno Lage destacou o facto de o jogo ter parado oito minutos por desacatos. "Isto tem de acabar. Quem tem este comportamento tem de ser preso".
A+ / A-

O Benfica, campeão português de futebol, goleou este sábado a Académica, por 8-0, no jogo de apresentação do conjunto da II Liga portuguesa aos sócios, realizado no Estádio Cidade de Coimbra.

O português Rafa (23 minutos), o espanhol Raúl de Tomás (24 e 45+6), um dos reforços da temporada, o argentino Conti (51 e 84), Pizzi (60), o suíço Sefevoric (62) e o marroquino Taarabt (89) marcaram os golos das 'águias'.

O jogo esteve interrompido cerca de oito minutos devido a problemas nas bancadas entre os adeptos. Alguns adeptos chegaram a entrar na pista de atletismo para fugir aos desacatos, que obrigaram à intervenção da polícia.

Dos incidentes resultou, pelo menos, um ferido, que esteve a ser assistido na pista de atletismo do Estádio Cidade de Coimbra durante largos minutos, junto à bancada superior nascente.

Em entrevista à SportTV, no final do jogo, Bruno Lage quis falar do incidente ainda antes de comentar o jogo. "Isto tem de acabar. Foi um adepto para o hospital, mas não foi ninguém preso. A gente tem de começar a prender esta malta, sejam eles pretos, vermelhos, azuis, verdes. Quem tem este comportamento tem de ser preso. Estas situações têm de evoluir de outra maneira, tivemos de estar parados por isto. Já chega, temos de tomar medidas drásticas para isto não acontecer, sob pena de amanhã eu, como adepto, não trazer o meu filho à bola".

Antes da estreia oficial, em 4 de agosto, na Supertaça, frente ao Sporting, o Benfica vai ainda participar na International Champions Cup, nos Estados Unidos, onde vai defrontar os mexicanos do Chiuvas (20 de julho) e os italianos da Fiorentina (25) e do AC Milan (28).


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.