A+ / A-
Brasil

Rutura de barragem leva outro munícipio brasileiro a decretar estado de emergência

12 jul, 2019 - 19:20

Antes da gestão de Coronel João de Sá ter decretado estado de emergência e calamidade pública, já na quinta-feira o município vizinho de Pedro Alexandre também o tinha feito.
A+ / A-

A prefeitura de Coronel João Sá, um dos municípios brasileiros mais afetados pela rutura de uma barragem, na quinta-feira, na região da Baía, decretou esta sexta-feira o estado de emergência e calamidade pública.

"Considerando as chuvas na região que ocasionou o rompimento da Barragem do Quati, situada no município de Pedro Alexandre, e que o município de Coronel João Sá encontra-se no caminho das águas oriundas da barragem, é declarada situação de emergência e calamidade pública no município", diz o documento publicado no Diário Oficial daquela cidade, assinado pelo prefeito Carlinhos Sobral.

As aulas na rede pública municipal foram suspensas por tempo indeterminado e foi autorizada a "mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem em resposta ao desastre", sob a coordenação do Departamento Municipal de Defesa Civil.

Antes da gestão de Coronel João de Sá ter decretado estado de emergência e calamidade pública, já na quinta-feira o município vizinho de Pedro Alexandre também o tinha feito.

Ao final da manhã de quinta-feira, uma barragem teve uma rutura na localidade de Quati, na cidade de Pedro Alexandre, no Estado nordestino da Baía, porém, o município vizinho de Coronel João de Sá foi fortemente afetado pela corrente de água, que obrigou à retirada de moradores das suas casas. De acordo com a Defesa Civil, as fortes chuvas que caem naquela região contribuíram para o rompimento da estrutura.

O prefeito de Coronel João Sá, Carlinhos Sobral, afirmou que parte da sua cidade, que fica nas margens do Rio do Peixe, está inundada e que só hoje as águas começaram a baixar. O governante declarou à imprensa local que 500 famílias estão desabrigadas e que estão a ser atendidas no ginásio local. "Felizmente não foi registado nenhum caso de morte. Algumas pessoas tiveram ferimentos ligeiros", disse Carlinhos Sobral à Agência Brasil.

No entanto, e apesar de não se terem registado perdas humanas, o prefeito frisou que precisa de ajuda, pois a força da chuva e lama danificou pontes, estradas e algumas residências.

A cidade de Coronel João de Sá, localizada a cerca de 450 quilómetros de Salvador, capital do estado da Baía, e a 30 quilómetros da barragem que cedeu, disponibilizou várias escolas para abrigar os moradores. A maior preocupação da gestão de Coronel João Sá é com as cerca de 120 famílias que moram nas margens do Rio do Peixe, que atravessa a região. A água que vazou da barragem segue o curso do rio.

A barragem em causa transbordou por volta das 06h00 locais de quinta-feira (10h00 em Lisboa), mas a estrutura só cedeu horas mais tarde, pelas 11:00 locais (15:00 em Lisboa), o que, segundo Carlinhos Sobral, deu tempo para que as autoridades pudessem alertar a população e evitar danos maiores.

O governante anunciou ainda que equipas do Exército e do Corpo de Bombeiros já se encontram na região a verificar as áreas atingidas.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem registados 16.695 moradores no município de Pedro Alexandre. Já Coronel João Sá tem uma população de 17.066 pessoas.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.