|
A+ / A-

Governo vai lançar programa para mais sete mil vagas em creches

11 jul, 2019 - 22:20 • Lusa

António Costa falava no final da assinatura de um acordo com o setor social para o biénio 2019/2020 no valor de 1,5 milhões de euros.

A+ / A-

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que, nas próximas semanas, o Governo vai lançar um programa para criar mais sete mil vagas em creches, com o objetivo de aumentar a capacidade de resposta sobretudo nas áreas metropolitanas.

António Costa anunciou este passo do seu Governo no final de uma cerimónia, em São Bento, em que o Estado assinou um acordo com o setor social para o biénio 2019/2020 no valor de 1,5 milhões de euros.

No final do seu discurso, o primeiro-ministro defendeu que é necessário "investir seriamente numa rede de creches em todo o país", apesar de Portugal, na sua perspetiva, estar acima dos limiares impostos pela União Europeia, tendo o país atualmente uma taxa de cobertura de 50% face aos 30% requeridos.

"Mas sabemos que é ainda insuficiente, além do mais porque, felizmente, Portugal tem uma das mais elevadas taxas de feminização do trabalho em toda a Europa. Por isso, nas próximas semanas, vamos lançar um novo programa (inspirado no Programa Pares) para criar uma nova geração de redes de creches", disse.

De acordo com o primeiro-ministro, o objetivo "é criar mais sete mil vagas em creches em todo o país, dando prioridade às duas áreas metropolitanas [de Lisboa e Porto] e a todos os concelhos do país em que a taxa de cobertura ainda está abaixo do objetivo europeu dos 30%".

"A demografia é outros dos importantes desafios para o qual estamos todos convocados", salientou, num discurso escutado pelos ministros da Segurança Social, Vieira da Silva, da Saúde, Marta Temido, da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, bem como pelos representantes do setor social da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS), União das Misericórdias Portuguesas, União das Mutualidades Portuguesas e Confederação Cooperativa Portuguesa (Confecoop).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.