A+ / A-

Barragem transborda no Brasil e obriga população a abandonar as casas

11 jul, 2019 - 19:46 • André Machado, correspondente no Brasil, com redação

O grande volume de água no rio Peixe, provocado pela queda intensa de chuva, terá estado na origem do acidente. Até ao momento, não há notícia de vítimas.
A+ / A-

A barragem de Quati, no estado brasileiro da Bahia, transbordou esta quinta-feira e obrigou à evacuação de duas cidades. A versão inicial de que tinha havido uma ruptura não se confirmou.

A Defesa Civil esclareceu mais tarde que não ocorreu uma ruptura na barragem na localidade de Pedro Alexandre, no norte do estado da Bahia.

O problema foi o excesso de água, devido à chuva forte, que acabou por provocar o transbordo da barragem, situada a cerca de 400 quilómetros de Salvador, a capital do estado da Bahia.

Até ao momento, não há informação sobre a existência de vítimas ou desaparecidos.

Trezentas pessoas no município de Pedro Alexandre e na cidade de Coronel João Sá tiveram que deixar as suas casas devido às inundações. Foram encaminhadas para escolas e ginásios da região.

O município de Pedro Alexandre decretou o estado de emergência e calamidade pública.

Esta sexta-feira, o governador Rui Costa visita o local.

Uma localidade rural ficou isolada pela subida do nível das águas do rio Peixe.

A torrente de água e lama dirigiu-se depois para a cidade de Coronel João Sá, que ficou inundada. Os moradores foram retirados.

Numa mensagem publicada no Instagram, o prefeito de Coronel João Sá, Carlinhos Sobral, apelou às pessoas residentes nas zonas de risco que abandonem as suas casas.

"É uma situação atípica, nunca aconteceu isso e nós não sabemos as consequências. Peço encarecidamente que as pessoas que moram em situação de risco saiam de suas casas. É melhor prevenir", declarou o prefeito.

As pessoas vão ficar alojadas provisoriamente em escolas, adiantou o responsável.

As estradas encontram-se intransitáveis devido à quantidade de lama misturada com a corrente da água, o que dificulta o atendimentos à população, segundo o potal de notícias G1.

A coordenadora da Defesa Civil em Pedro Alexandre, Carla Leão, disse que algumas casas que ficam no povoado de Quati foram invadidas pela lama.

"Algumas casas foram invadidas, mas não há feridos. (...) Tem muita lama e água no caminho. Apesar disso, sabemos que os moradores não foram atingidos porque entrámos em contacto antes, e eles deixaram as casas antes da rutura", afirmou ao G1 a coordenadora.

A barragem em causa transbordou por volta das 6h00 (hora local, 10h00 em Lisboa) desta quinta-feira.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem registadas 16.695 moradores no município de Pedro Alexandre. Já Coronel João Sá tem uma população que chega aos 17.066.

A ruptura acontece seis meses depois da tragédia da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, que provocou a morte a mais de 200 pessoas.

[notícia atualizada às 00h57]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.