A+ / A-
Porto

I-CULT 2019. Um festival do mundo inteiro em português

11 jul, 2019 - 18:13 • Redação

Silibrina, Coladera e Luedji Luna apresentam-se no Festival I-CULT 2019 nos dias 11, 12 e 13 de julho, na esplanada da Casa da Música. A entrada é livre.
A+ / A-

O I-CULT (Itinerâncias Culturais), pela segunda vez em Portugal, promove, entre esta quinta-feira e sábado, na esplanada da Casa da Música, no Porto, uma série de apresentações musicais que aproximam as relações artísticas entre países e regiões que têm a língua portuguesa como língua universal. Três espetáculos contarão com artistas provenientes de Portugal, Brasil e Cabo-Verde: Silibrina, Coladera e Luedji Luna.

Reforçando a valorização da música e da língua que os une, agora em Portugal, na quinta-feira, dia 11, pelas 22h00, Silibrina misturará a música brasileira com o jazz e apresenta-se em palco de forma espontânea e enérgica, privilegiando o improviso. A banda de música instrumental foi criada por Gabriel Nóbrega, pianista que assina também as composições e os arranjos. Depois de lançar o seu primeiro álbum com nove originais (O Raio, 2017), em 2018 foi selecionada para tocar na SXSW (Austin, EUA) e na MAPAS (Tenerife Espanha), e fez tournées nos EUA e na Europa. Após o lançamento do segundo álbum, Estandarte (2019), visita festivais canadianos e chega ao Porto pelo I-CULT no âmbito de uma nova digressão europeia.

Coladera, sexta-feira, dia 12, pelas 22h00, apresenta-se, desta vez, num encontro musical entre os músicos Vitor Santana, João Pires, Marco Suzano e o contrabaixista Francesco Valente. Identificam-se mundos musicais que homenageiam os ritmos lusófonos e têm na língua de expressão portuguesa a matriz deste trabalho. João Pires traz a sua composição, a guitarra ibérica e a vertente africana trazida dos anos que viveu em Cabo Verde. Vitor Santana acrescenta a sua voz e seu violão popular brasileiro, a influência latina e sua ligação profunda com Cuba. Marcos Suzano completa o trio com a melhor herança dos batuques de matriz africana, em mais de dez instrumentos de percussão originários de três continentes onde se fala o português. Os mundos do Brasil e de Portugal fundem-se num diálogo baseado em violões, percussões e vozes, trazendo um ambiente sonoro rico em mesclas e mestiçagem. Ouvem-se ecos de África, do candomblé, do fado e do flamenco, do samba, da rumba e do mambo, um português com sotaques diferentes, a eletrónica nascida do acústico de Suzano. Tudo isso da maneira mais crua, direta e autoral. O ICULT desembarca-os no Porto e em seguida estarão em digressão, onde passarão também pelo icónico Montreux Jazz Festival.

Sábado, dia 13, pelas 22h00, será a apresentação de Luedji Luna, premiada cantora, compositora e filha de ativistas políticos negros. Esta voz promissora de Salvador da Bahia é portadora de esperança, especialmente para as mulheres negras. Luedji Luna dá voz às suas preocupações e aborda experiências pessoais e queixas políticas, abraçando as suas mensagens com harmonias frequentemente descontraídas e leves, com ecos de samba de roda, afoxé e toques de jazz cubano com influências da MPB e da música de terreiro. Reconhecida pela diversidade e pelas parcerias criativas com músicos da nova cena musical do Brasil, recentemente colaborou com a moçambicana Lenna Bahule para o projeto #SomosMoçambique, em que numa noite reuniu mais de 50 artistas brasileiros a arrecadou fundos para a Cruz Vermelha. Luedji Luna é de uma beleza singular, intensa e intimista. Com o álbum Um Corpo no Mundo (2017) a artista apresenta uma obra construída sobre vivências pessoais, transitando por temas espinhosos com voz leve e uma mistura de ritmos ora dançantes, ora contemplativos.

I-CULT é um Festival de Música Internacional Itinerante que incluirá também outras Indústrias Criativas das regiões que também falam português. Com foco na Importação & Exportação de produtos artísticos, foca-se em desenvolver e dar visibilidade àmulticulturalidade artística e partilhada proveniente destes países.

Promovido pela Connecting Dots desde 2015, tem vindo a desenvolver a sua identidade e importância cultural com o objetivo de impulsionar as relações culturais.

Em 2018 passou por Porto e Lisboa, em Portugal, e São Paulo, no Brasil. Na edição de junho de 2019 no Brasil, o I-CULT viajou por São Paulo, Porto Alegre e Brasília nos dias 13, 14 e 15 de junho com Mário Laginha, Hamilton de Holanda, Anna Setton e Lenna Bahule.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.