A+ / A-
Ciclismo

Giulio Ciccone é o novo líder da Volta a França

11 jul, 2019 - 16:57 • Redação

O ciclista italiano, da Bahrain-Merida, foi segundo na sexta etapa e "roubou" a camisola amarela a Julian Alaphilippe.
A+ / A-

A camisola amarela da Volta a França mudou de mãos, esta quinta-feira. Giulio Ciccone ficou em segundo na sexta etapa, ganha pelo belga Dylan Teuns, e subiu à liderança da prova.

Foi a 20 quilómetros da meta que um grupo composto por Teuns (Bahrain-Merida), Tim Wellens (Lotto-Soudal), Xandro Meurisse (Wanty-Gobert) e o italiano da Trek-Segafredo apanhou o até aí protagonista do dia, o belga Thomas de Gendt, que a cerca de 17 quilómetros antes assumira a liderança da corrida. A certa altura, Ciccone e Teuns ficaram sozinhos. No derradeiro quilómetro, Teuns isolou-se e acabou por cruzar a meta com 11 segundos de vantagem sobre Ciccone.

Apesar de não ter ganho a tirada, Ciccone ganhou tempo suficiente ao então camisola amarela, Julian Alaphilippe (Deceuninck–Quick-Step), para assumir a liderança da classificação geral individual do Tour. O francês ainda deu o máximo nos últimos metros, na tentativa de manter a vantagem, mas a subida final, com inclinação de 24%, foi fatal.

Ainda assim, Alaphilippe fica no segundo lugar, a seis segundos de Ciccone, que beneficiou das bonificações para vestir a amarela. Teuns serviu-se da vitória na etapa para ascender ao terceiro lugar da geral, a 32 segundos do novo líder. O vencedor da Grand Boucle do ano passado, o britânico Geraint Thomas (Team INEOS), foi quarto na etapa e ocupa, agora, o quinto lugar da geral, a 49 segundos de Ciccone.

O melhor português em prova continua a ser Rui Costa (UAE Team Emirates), que terminou a etpa na 64.ª posição, a 14m51s de Teuns, e que passou a ocupar o 43.º posto do Tour, a 14m39s do camisola amarela.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.