A+ / A-
Justiça

Ministério Público acusa 89 arguidos no processo “Hells Angels”

11 jul, 2019 - 16:55 • João Pedro Barros com Lusa

Elementos do grupo de motards são pronunciados, entre outros crimes, por tentativa de homicídio. Os factos que desencadearam a acusação ocorreram em março de 2018, em Loures
A+ / A-

O Ministério Público (MP) acusou esta quinta-feira 89 arguidos do denominado processo "Hells Angels" por associação criminosa, tentativa de homicídio qualificado, ofensa à integridade física, extorsão, roubo, tráfico de droga e detenção de armas e munições entre outros crimes.

Numa nota emitida esta quinta-feira pela Procuradoria-Geral da República, é referido que foi deduzida acusação contra 89 arguidos pertencentes à organização "Hells Angels Motorcycle Club" por associação criminosa, homicídio qualificado, na forma tentada, ofensa à integridade física qualificada, extorsão qualificada, dano qualificado com violência, roubo, tráfico de estupefacientes, detenção de armas e munições proibidas, bem como consumo de drogas.

Dos 89 arguidos acusados, 37 encontram-se em prisão preventiva, cinco estão obrigados a permanecer na habitação com vigilância eletrónica e dois encontram-se detidos na Alemanha, a aguardar extradição para Portugal.

Rixa entre grupos rivais desencadeou operação

Os factos que desencadearam a operação da Polícia Judiciária (PJ) e agora a acusação do MP ocorreram em março de 2018, em Loures. Então, cerca de cem membros dos Hells Angels invadiram o restaurante Mesa do Prior, no Prior Velho, em Loures. Atacaram com “facas, machados, bastões e outros objetos perfurantes” elementos de um grupo motard rival, o Red&Gold, criado por Mário Machado, líder de um movimento de extrema-direita.

No interior do restaurante “tentaram matar quatro ofendidos e feriram gravemente seis outros”, refere a nota do MP. Os arguidos destruíram o estabelecimento, tendo causado estragos no valor de, pelo menos, 14.450 euros, acrescenta-se.

Na sequência de buscas domiciliárias e não domiciliárias efetuadas pela PJ, na sequência das agressões, foram apreendidas aos arguidos “armas, dinheiro e estupefacientes”. O inquérito tem, neste momento, 56 volumes e nele foram apensos três outros inquéritos.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.