A+ / A-
Itália

Revelada gravação em que russos combinam financiamento ilegal a partido de Salvini

10 jul, 2019 - 23:10 • João Pedro Barros João Pedro Barros

Em causa estariam 65 milhões de euros, que seriam encaminhados para a Liga, partido do vice-primeiro-ministro italiano.
A+ / A-

A revista italiana L’Espresso já tinha publicado a história em fevereiro, mas agora a BuzzFeed News publica excertos áudio da conversa: a 18 de outubro do ano passado, num luxuoso hotel moscovita, três assessores próximos de Matteo Salvini – incluindo Gianluca Savoini, considerado o seu braço-direito – terão combinado um esquema para financiar ilegalmente, em 65 milhões de euros, a Liga, partido de extrema-direita do vice-primeiro-ministro italiano e ministro do Interior. Não se sabe até que ponto é que o negócio evoluiu, mas Salvini e Savoini desmentem ter recebido qualquer dinheiro russo.

“Já levantei processos no passado, fá-lo-ei também hoje, amanhã e depois de amanhã: nunca recebi um rublo, um euro, um dólar ou um litro de vodka de financiamento da Rússia”, declarou esta quarta-feira o governante, citado pelo “La Repubblica”.

Já Savoini, em declarações à Euronews, confirmou ter estado no referido hotel para se encontrar com empresários locais, mas ao mesmo tempo negou a reunião. "Posso apenas dizer que nunca foi dado um cêntimo ou um rublo à Liga de nenhum dos citados no artigo. Sou da Lombardia Russia [uma associação cultural], nunca disse que era emissário da Liga”, acrescentou à agência Ansa.

O esquema descrito na gravação – a negociação dura cerca de uma hora e 15 minutos – dependia de intermediários, que venderiam pelo menos três milhões de toneladas métricas de petróleo, oriundos de uma petrolífera russa, à homóloga italiana Eni, com um desconto de 4%, que equivaleria a cerca de 58 milhões de euros. Essa verba seria canalizada para um saco azul da Liga, com o objetivo de financiar a campanha às eleições europeias de maio.

“É muito simples. De acordo com o planeamento feito pelos nossos tipos da política, um desconto de 4% a 250 mil [toneladas métricas], mais 250 mil por mês durante um ano, é suficiente para sustentar uma campanha”, diz um dos três italianos na gravação áudio disponibilizada pela BuzzFeed News.

Mais um caso de influência russa nos partidos europeus?

Esta será a prova mais forte até agora vinda a público de um financiamento russo à extrema-direita europeia, apesar de várias pistas apontarem para tal, nomeadamente em França ou na Áustria, onde o Governo caiu depois de o vice-primeiro-ministro Heinz-Christian Strache, do Partido da Liberdade da Áustria (FPÖ), ter sido apanhado num vídeo a negociar favorecimentos em troca do apoio de milionários russos.

Os três elementos russos presentes na reunião – que o BuzzFeed não conseguiu identificar – consideravam Salvini um “novo Trump”, enquanto Savoini falava de uma vontade de “mudar a Europa”. “É preciso criar uma nova Europa que esteja mais próxima da Rússia, como era habitual, porque queremos manter a nossa soberania”, sublinhou.

A Liga foi a grande vencedora das eleições europeias de 26 de maio, com 34,3% dos votos, muito à frente do Movimento 5 Estrelas (M5S), terceiro classificado, com 17,1%. Via Facebook, o líder do parceiro de coligação e também vice-primeiro-ministro, Luigi Di Maio, já deixou um recado, mais um numa longa lista de desentendimentos recentes: “Cada vez que ouço isto fico mais orgulhoso do M5S: nunca fizemos contactos com financiadores ocultos, petrolíferas ou outras nações para jogos políticos subterrâneos”.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.