A+ / A-

Zé Pedro pronto para dar "show" nos Estados Unidos

10 jul, 2019 - 12:45 • Sílvio Vieira

O extremo, de 22 anos, parte em busca do sonho americano. Formado no FC Porto, esteve no Feirense e no Covilhã na época passada. Assina pelo Swope Park Rangers e com o objetivo de chegar à MLS.
A+ / A-

Zé Pedro teve propostas para continuar a jogar em Portugal, mas "era mais do mesmo" e o extremo, de 22 anos, decidiu que era hora de arriscar. O futebol dos Estados Unidos surgiu-lhe como palco ideal para dar "show" aos americanos. O empresário, Hélio Martins, há algum tempo que lhe falava dessa possibilidade e o jogador, que esteve no Feirense e no Covilhã na época passada, forçou a entrada num voo que o vai levar até ao Kansas.

O seu perfil, de extremo rápido, explosivo, drible fácil, apreciador de duelos, encaixa no desenho que lhe têm feito de um futebol em que "os treinadores e os adeptos gostam de espetáculo". "As minhas características podem ser uma mais-valia para entrar nesse tipo de 'show'", diz Zé Pedro, em entrevista à Renascença, já com contrato assinado, por uma temporada e meia, com o Swope Park Rangers, da USL, a liga de desensolvimento do principal campeonato de futebol dos Estados Unidos, a MLS.

O Swope Rangers é a equipa satélite do Sporting de Kansas City e o plano do jogador português passa por "dar o passo para a MLS, o mais rápido possível". "Quero mostrar o meu valor e afirmar-me no futebol norte-americano", define. Gerso, antigo jogador do Estoril, do Moreirense e do Belenenses, está há três épocas no Sporting de Kansas City e poderá ser uma boa ajuda na adaptação de Zé Pedro, que já falou com o seu novo treinador, o brasileiro Paulo Nagamura, que também lhe poderá dar um apoio nos primeiros tempos.

À espera de visto para os Estados Unidos e para a I Liga

Zé Pedro aguarda pelo visto para poder viajar para os Estados Unidos e iniciar esta nova etapa de uma carreira que ainda não tem passagem pela I Liga. O jogador esteve um ano e meio no Feirense, mas não chegou a ser estreado no escalão principal do futebol português.

Um objetivo do extremo formado no FC Porto que poderá ser alcançado mais tarde, sem pressa, ou desespero: "Claro que jogar na I Liga é um dos meus sonhos, mas ainda não tive essa oportunidade. Agora é tempo de pensar no presente e vou para os Estados Unidos com uma proposta do meu agrado".

"O futebol está a crescer nos Estados Unidos e penso que é uma excelente oportunidade. Houve propostas de Portugal, mas era um pouco mais do mesmo e tinha de arriscar. O meu empresário há algum tempo que falava dos Estados Unidos e tentei sempre forçar essa possibilidade", conta o avançado, nesta conversa com Bola Branca.

Itinerário do Porto ao Kansas

Zé Pedro vai aterrar em solo norte-americano já com muito para contar, apesar dos 22 anos. Formado no FC Porto, foi bicampeão nacional de juniores. Não deu o salto para a equipa B, nem para a principal, e foi cedido à Sanjoanense e ao Gafanha, do Campeonato de Portugal. Em 2017 terminou a ligação de dez anos com os dragões.

O extremo realça que "foram dez anos muito bons". "Tive oportunidades, outras deixei escapar", recorda, sem grandes lamentos. "É uma das melhores escolas do país e da Europa. Podia ter tido mais oportunidades, mas não é por aí. Vou dar o meu melhor por este novo projeto", reforça, olhando para o futuro.

Encerrada a história com o FC Porto, Zé Pedro foi contratado pelo Feirense, da I Liga. Não fez qualquer jogo no primeiro meio ano no Marcolino Castro e, em janeiro, foi emprestado ao Felgueiras. Na temporada passada fez dois jogos pelos Feirense na Taça da Liga. No mercado de inverno, optou por rescindir com os "fogaceiros" e assinou pelo Sporting da Covilhã, onde se estreou na II Liga.

No final, fez o balanço da época e contas à vida. O sonho americano seduziu o esquerdino que vai para o Kansas. Inspirado pelo Feiticeiro de Oz, Zé Pedro está pronto para fazer magia e dar "show" aos americanos.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.