Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

"Bob" instala-se em Riba de Ave. Primeiro supercomputador português pode multiplicar por 10 a capacidade nacional de computação

05 jul, 2019 - 10:16 • Redação

O supercomputador ficará instalado no Centro de Computação Avançada do Minho (MACC), que é também inaugurado esta sexta-feira.

A+ / A-

O primeiro supercomputador nacional é inaugurado esta sexta-feira em simultâneo com o Centro de Computação Avançada do Minho (MACC), em Riba de Ave, onde a "máquina" ficará sedeada.

A unidade foi anunciada em 2017 e permitirá aumentar “em dez vezes a capacidade nacional de computação”.

Chamam-lhe “Bob”, é capaz de executar mil biliões de operações por segundo e estará ao serviço da comunidade científica nacional, de modo a executar cálculos e simulações que um computador normal não consegue. Servirá, também, para o processamento de dados do Centro de Investigação sobre o Atlântico nos Açores (AIR Centre), uma rede científica de vários países, com sede na Ilha Terceira, que se dedica ao estudo do clima, do espaço e dos oceanos. Através deste supercomputador, o processamento do AIR Centre passará, assim, a ser realizado pela Universidade do Minho, em conjunto com a Universidade de Austin, Texas e o Centro de Supercomputação de Barcelona.

O computador integra a Rede Ibérica de Computação Avançada e apoiará, ainda, o desenvolvimento de aplicações nos domínios da medicina personalizada, a conceção de medicamentos e materiais, a bioengenharia, a alteração climática e a previsão metereológica.

A nova unidade de computação está instalada no centro de dados da REN – Redes Energéticas Nacionais e pretende-se que funcione maioritariamente com recurso a energias renováveis, como a eólica, a fotovoltaica e a hidroelétrica.

O Centro de Computação Avançada do Minho (MACC), que é também inaugurado hoje e onde o supercomputador habitará, surge de uma parceria entre a Universidade do Minho, a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), a Universidade de Austin e o Centro Nacional de Supercomputação de Barcelona.

“Bob” não será a única unidade de computação a viver no MACC. “Deucalion”, um segundo supercomputador capaz de executar 10 mil biliões de operações por segundo, começará a ser instalado até ao final de 2020.

Estão previstos serem instalados oito primeiros supercomputadores europeus no âmbito da EuroHPC – Empresa Comum Europeia para a Computação a Computação de Alto Desempenho. Para além do Minho, estão previstos supercomputadores em Ostrava (República Checa), Kajaani (Finlândia), Sófia (Bulgária), Maribor (Eslovénia), Bissen (Luxemburgo) e Barcelona (Espanha).


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+