A+ / A-

​Morte do comunista Ruben de Carvalho sob investigação

17 jun, 2019 - 13:16 • Redação

Histórico dirigente do PCP caiu quando estava internado ho Hospital de Santa Maria, bateu com a cabeça e horas depois entrou em coma. Acabou por morrer passadas três a quatro semanas.
A+ / A-

O Ministério Público está a investigar a morte de Ruben de Carvalho, o antigo dirigente do PCP.

A notícia é avançada pelo Observador e confirmada à Renascença pela Procuradoria-Geral da República que adianta que não há, para já, arguidos constituídos.

Em causa está a averiguação de possível negligencia durante o internamento no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

De acordo com o jornal online “Observador”, Ruben de Carvalho foi internado com queixas na vesícula. Durante o internamento sofreu uma queda que está agora a ser investigada.

No dia da queda, Ruben de Carvalho ainda relatou o sucedido a familiares que o visitaram. Horas depois entrou em coma e passadas cerca de quatro semanas faleceu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    17 jun, 2019 14:36
    Há alguma hipocrisia na comunicação social. Qualquer comunista à partida tem que ser um herói da "classe operária" e digno de toda a aclamação, mas se fosse de direita, não teria de certeza tanta lamúria na comunicação social… e seria, provavelmente, enxovalhado pela extrema esquerda comunista...