A+ / A-
OK Computer

Radiohead divulgam 18 horas de material de estúdio em resposta a chantagem de hacker

11 jun, 2019 - 14:33 • Agência Lusa

Um pirata informático roubou o material a Thom Yorke e exigia 150 mil dólares de "resgate" para não o divulgar. A partir de 11 de julho, as gravações serão postas à venda pela banda, com as receitas a reverter para o movimento Extinction Rebellion.
A+ / A-

O grupo britânico Radiohead divulgou esta terça-feira 18 horas de material não editado do final dos anos 1990, que tinha sido pirateado dos arquivos pessoais do vocalista, Thom Yorke.

"Na semana passada fomos pirateados. Alguém roubou o 'minidisc' de arquivo do Thom do tempo do [álbum] 'OK Computer' e alegadamente exige 150 mil dólares [132 mil euros] ou ameaça divulgá-lo", afirmou o guitarrista Jonny Greenwood na rede social Twitter.

Em resposta àquela ameaça, os Radiohead colocaram as 18 horas de música dessa época, entre 1995 e 1998, para audição gratuita nos próximos 18 dias na plataforma Bandcamp. Inclui temas ao vivo, ensaios incompletos e outro material não editado.

A partir de 11 de julho, as 18 horas de gravações serão vendidas por 18 libras (cerca de 20 euros) e as receitas reverterão para o movimento sociopolítico Extinction Rebellion.

A banda explica que este material de ensaios e gravações "não é muito interessante", é "muito, muito extenso" e que nunca houve intenção de o tornar público na íntegra, embora alguns excertos tenham sido incluídos numa reedição em cassete do álbum "OK Computer".

Os Radiohead surgiram em 1985 e editaram "Ok Computer", o terceiro álbum de estúdio, em 1997, e que é considerado uma das pedras basilares de rock alternativo, antes de partirem para experimentações mais eletrónicas e pós-rock com "Kid A", de 2000.

Dos Radiohead, que já atuaram várias vezes em Portugal, fazem parte Thom Yorke, Ed O'Brien, Philip Selway e Colin e Jonny Greenwood.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.