A+ / A-

Acordo para aumento salarial dos trabalhadores do setor social pode estar por dias

08 jun, 2019 - 00:38 • Redação

O presidente da União das Misericórdias Portuguesas reconhece razão para o protesto dos trabalhadores, que esta sexta-feira se manifestarm em Lisboa.
A+ / A-

O presidente da União das Misericórdias Portuguesas (UMP), Manuel Lemos, acredita que, no final da próxima semana, será definida a atualização salarial dos seus trabalhadores.

Manuel Lemos reconhece razão para o protesto dos trabalhadores misericórdias e das instituições particulares de solidariedade social (IPSS), que manifestaram esta sexta-feira, em Lisboa, para exigir melhores salários e outras condições de trabalho.

O presidente da UMP acredita que a negociação com o Ministério do Trabalho chegue a bom entendimento no final da próxima semana.

“Estamos perto de encontrar o consenso possível dentro de um quadro de limitações que todos sabemos que é muito grande e não vale a pena estar sempre a falar disso”, sublinha.

Manuel Lemos reconhece que os trabalhadores das IPSS têm “um trabalho muito árduo e difícil”, com idosos, doentes e pessoas com deficiências, e “não são muito bem pagos”.

“Temos muita noção disso, estamos a fazer um esforço nas instituições, quer nas misericórdias quer nas IPSS, para corrigir isso”, afirma.

Esta sexta-feira, algumas centenas de trabalhadores concentraram-se em frente ao Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, para exigirem melhores salários e condições de trabalho, que é o reflexo de uma greve realizada esta sexta-feira.

Os trabalhadores exigem das entidades empregadoras, entre as quais as misericórdias, respeito pelos seus direitos.

Paralelamente, exigem ao Governo que considere nos aumentos das comparticipações do Estado atribuídos anualmente às instituições a atualização salarial.

Os sindicatos frisam que estes trabalhadores não tiveram qualquer valorização remuneratória nos últimos anos.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.