A+ / A-

Papa pede perdão a ciganos por "discriminações, segregações e maus tratos"

02 jun, 2019 - 15:01 • Aura Miguel , enviada especial à Roménia, com redação

Depois de um banho de multidão em Blaj, Papa teve um encontro com cerca de 200 pessoas a maioria pertencentes à comunidade Rom, numa localidade na periferia da cidade.
A+ / A-
Papa pede perdão à comunidade de etnia cigana na Roménia
Papa pede perdão à comunidade de etnia cigana na Roménia

O Papa Francisco pediu este domingo "perdão" à comunidade Rom (etnia cigana), "em nome da Igreja Católica", pelas "discriminações, segregações, maus tratos" sofridos por esta comunidade.

"No coração, porém, trago um peso. É o peso das discriminações, segregações e maus-tratos sofridos pelas vossas comunidades. A história diz-nos que os próprios cristãos, os próprios católicos não são alheios a tanto mal. Quero pedir perdão por isso. Em nome da Igreja, peço perdão, ao Senhor e a vós, por todas as vezes que, ao longo da história, vos discriminamos, maltratamos ou consideramos de forma errada, com o olhar de Caim em vez do de Abel, e não fomos capazes de vos reconhecer, apreciar e defender na vossa peculiaridade.", disse Francisco num encontro com representantes desta etnia, acompanhado pela reportagem da Renascença.

O encontro teve lugar no bairro de Barbu Lautaru, uma pequena localidade na periferia de Blaj, onde esta manhã Francisco beatificou sete bispos greco-católicos. Cerca de 200 pessoas estiveram neste momento que uniu o Papa e a comunidade Rom.

"Sempre houve, na história da humanidade, Abel e Caim. Há a mão estendida e a mão que fere. Há a abertura do encontro e o fechamento do desencontro. Há a hospitalidade e há o descarte. Há quem veja no outro um irmão e quem nele veja um obstáculo no próprio caminho. Há a civilização do amor e há a do ódio. Cada dia, há que escolher entre Abel e Caim. Como sucede perante uma encruzilhada, frequentemente impõe-se-nos fazer uma escolha decisiva: seguir o caminho da reconciliação ou o da vingança", acrescentou Francisco.

Um dos presentes neste encontro foi o pároco local. Don Ioan, também de etnia Rom, lembrou um dos mártires beatificado este domingo de manhã. "Não podemos esquecer o bispo mártir Ioan Suciu, que jogava futebol com os pequenos Rom, nestas ruas onde agora estamos, num autêntico espírito fraterno de amizade e partilha", disse.

Na Europa, o número de ciganos é calculado entre 10 milhões e 12 milhões de pessoas, o que representa 1,2% da população da União Europeia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.