A+ / A-

Marcelo apela ao voto nas europeias. “Peço-vos esse pequeno sacrifício”

25 mai, 2019 - 20:00 • Redação

Presidente da República lança um forte apelo contra a abstenção nas eleições de domingo. Será “um erro enorme” ficar em casa, avisa.
A+ / A-
Marcelo apela ao voto nas Europeias. "Peço-vos esse pequeno sacrifício"
Marcelo apela ao voto nas Europeias. "Peço-vos esse pequeno sacrifício"

O Presidente da República apela ao voto nas eleições europeias de domingo. “Peço-vos esse pequeno sacrifício”, disse Marcelo Rebelo de Sousa numa mensagem aos portugueses em dia de reflexão.

Marcelo Rebelo de Sousa adverte os eleitores que será “um erro enorme” ficar em casa e não ir votar nas eleições para o Parlamento Europeu.

O Presidente da elenca vários motivos para os portugueses exercerem o seu direito cívico nas europeias deste domingo.

“A Europa é, com todos os seus problemas, a área com mais direitos do Mundo. Muita da nossa vida resolve-se na Europa”, salienta o chefe de Estado, explicando que a União Europeia vai tomar “decisões fundamentais para o nosso futuro” nos próximos meses e nos próximos anos.

Marcelo argumenta que na Europa “tomam-se decisões que marcam o nosso presente e o nosso futuro — nas finanças, na economia, no emprego, na formação, nas escolas, no ambiente, nas estradas, no digital, na inovação”.

“Na Europa temos tido apoio, com fundos, para fazermos muito do que sozinhos faríamos com maior custo e para mantermos, em momentos difíceis, a capacidade de nos financiarmos lá fora.

Ora, na Europa, na União Europeia, só temos uma hipótese de escolher os nossos representantes diretos. E que é, a de participar na eleição dos nossos deputados europeus”, sublinha o Presidente da República.

Independentemente de algo que tenha desgostado os eleitores na campanha eleitoral ou poderem pensar que o “voto é desnecessário”, Marcelo Rebelo de Sousa pede aos eleitores que não deixem a decisão nas mãos de outros.

“Peço-vos esse pequeno sacrifício que é não deixar nas mãos de 20% ou de 25% a decisão que é de todos. Até por uma razão muito simples, para no dia seguinte, não terdes, não termos, de recomeçar o queixume de que a Europa, a que pertencemos, está errada, de que a Europa não nos entende, de que a Europa não nos apoia como deveria fazê-lo, de que a Europa não é suficientemente solidária, de que a Europa se encontra dominada por aqueles que não queremos, nem aceitamos. Tudo porque a maioria esmagadora escolheu não escolher. Ou melhor, escolheu não dedicar, amanhã, uns minutos do seu tempo àquilo que vai determinar os próximos cinco ano da nossa vida”, adverte o chefe de Estado.

Marcelo alerta a abstenção enfraquece a democracia. “Assim começou, vezes demais, o caminho para a sedução dos poderes absolutos. Votar amanhã é não desistir da liberdade de mandar no nosso futuro”, conclui o Presidente da República.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    26 mai, 2019 Lisboa 13:23
    As pessoas votam sempre, mesmo quando não votam, presidente. Ao não comparecer nas Assembleias de voto, abstendo-se de votar, estão na realidade a votar contra a situação, contra o sistema eleitoral falseado que obriga a votar por partidos que elaboram eles no segredo dos seus gabinetes as listas de deputados que teoricamente representam os cidadãos - na realidade não representam nada a não ser os interesses partidários e os próprios interesses. Abstendo-se, estão a votar contra a pseudo-representação de deputados eleitos por partidos - é o que há nesta partidocracia - e não por pessoas. Abstendo-se estão a dizer que estas eleições não são mais que meter o carimbo num passaporte que paga uma viagem de luxo para 21 tipos com ordenados obscenos que não representam ninguém a não ser os seus interesses e das suas familias partidárias. Como vê, presidente, toda a gente vota. Não votam é por farsas que é o que isto é. Mudem a legislação eleitoral. Façam com que se possa votar por pessoas, e que essas pessoas sejam escrutinadas durante o mandato através da comparação da ação real e das promessas feitas, havendo a hipóteses de se não corresponderem ao prometido, serem pura e simplesmente substituídos a meio do mandato. Façam sentir às pessoas que o seu voto vale a pena, que estão mesmo representadas e não a eleger tachistas, e verão a abstenção a descer. Esta farsa eleitoral, Tal como está, é que não leva a lado nenhum
  • Professor
    25 mai, 2019 5 de out 20:11
    Para que é que apela ao voto, se graças à Legislação Eleitoral em uso cá no pedaço, os 21 inúteis que vão para o paraíso obscenamente bem pago de Bruxelas, estão garantidos, por muita abstenção que haja? E eles vão votar de acordo com o que quer a família política deles, não pelos nossos interesses.