A+ / A-

Estoril recebe concerto solidário a favor de Moçambique

24 mai, 2019 - 09:00 • Ana Lisboa

O espetáculo vai decorrer no auditório da Igreja Senhora da Boa Nova, no Estoril, a 25 de maio, no Dia de África.
A+ / A-

A Igreja Senhora da Boa Nova, no Estoril, recebe, este sábado, um concerto de angariação de fundos para Moçambique. Planeado antes de acontecer o ciclone Idai que atingiu o país em março, o espetáculo tinha inicialmente como objetivo angariar verbas para recuperar a Igreja de Quelimane, que se encontra em avançado estado de degradação.

Contudo, depois do Idai, “pensámos que tínhamos que fazer alguma coisa por aquela gente”, diz Edma Pinto, da Associação dos Bons Sinais, que está a organizar o evento.

Assim, “uma parte (dos donativos) será para a Igreja e outra parte vamos direcionar para as vítimas do Idai”, explica a responsável, natural de Quelimane, mas que se encontra em Portugal desde 1976.

Conhecida também como Catedral Nossa Senhora do Livramento, a igreja não foi muito afetada pelo ciclone. Aliás, quando aconteceu o Idai, “já estávamos a fazer trabalhos lá dentro, já se tinham feito algumas coisas”.

O concerto de angariação de fundos vai acontecer este sábado, 25 de maio, Dia de África, uma data escolhida de propósito. Decorrerá no auditório da Igreja Senhora da Boa Nova, no Estoril, pelas 20h30.

O espetáculo designa-se “Há Bons Sinais”, que é precisamente o nome do rio localizado próximo desta Igreja em Quelimane. Conta com a participação de artistas como Rão Kyao, Ildo Ferreira, Maria João Quadros, Renato Silva Júnior, entre muitos outros.

Será “um espetáculo de luxo”, sublinha Edma Pinto, que terá muitas surpresas. O bilhete custa 20 euros e pode ser comprado nos locais habituais.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.