A+ / A-
Europeias 2019

Jerónimo de Sousa acusa PSD e CDS de competirem perante a ameaça da extrema-direita

19 mai, 2019 - 18:35 • Pedro Filipe Silva

Na vila de Alhandra, o secretário-geral do PCP apontou baterias a PSD e CDS, que se assumem como “salvadores da Europa”, mas não o demonstram.
A+ / A-

A sala da Sociedade Euterpe Alhandrense, em Alhandra, no concelho de Vila Franca de Xira, encheu-se para ouvir Jerónimo de Sousa. Antes da chegada do secretário-geral do PCP e do cabeça de lista às eleições europeia, João Ferreira, as centenas de apoiantes tiveram direito a um momento musical do quinteto cinco elementos.

Animada estava a festa e lá chegou a vez de Jerónimo de Sousa falar. Parte do discurso foi dedicada à ameaça da extrema e direita com críticas ao PSD e CDS. “Apresentam-se nestas eleições assumindo-se salvadores da Europa perante a ameaça da extrema-direita”, disse o secretário-geral do PCP que apontou mesmo os nomes dos eurodeputados. “Por exemplo, o PSD de Paulo Rangel com os seus amigos no poder na Hungria e na Polónia, que em tempo de eleições renegam, ou os amigos do CDS Cristas e tão elogiados por Nuno Melo, os protofascistas do Vox de Espanha, admiradores de Franco", apontou Jerónimo de Sousa, que não esqueceu o PS. "outros vão fechando os olhos em conivência com a política que alimentou e alimenta esses regimes autoritários".

O secretário-geral do PCP disse ainda que estes partidos de estarem a competir entre si e a criar dilemas. "O que pretendem com esta operação salvar a Europa ameaçada, na competição entre si pelo posto de guardião da fortaleza e com isso mostrar que se é mais europeísta, confundindo propositadamente a Europa com a União Europeia do capital e monopólios, e colocar os portugueses e outros povos perante um falso dilema, a armadilha de uma falsa opção", acusou.

Jerónimo de Sousa disse ainda que esse dilema “não está entre os que se dizem europeístas e que querem salvar a Europa contra os nacionalistas reacionários e a extrema-direita", sublinhou. Concluiu criticando que os que apoiam a política neoliberal da União Europeia. "Tem sido a política neoliberal levada a cabo pela União Europeia e da qual os pretensos salvadores da Europa e seus governos não se demarcam que conduziu durante vários anos a apoiarem nacionalistas reacionários e xenófobos na Itália, na Polónia ou Hungria, que lhes servem de pretexto para dar credibilidade ao seu falso dilema", disse.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.