A+ / A-

PAN quer mais apoios comunitários para agricultura tradicional

19 mai, 2019 - 15:10

O cabeça de lista do PAN às eleições europeias e André Silva percorreram as cerca de duas dezenas de postos de venda de produtos agrícolas biológicos em Alvor, Portimão.
A+ / A-

O cabeça de lista do PAN às europeias visitou este domingo o mercado de agricultura tradicional de Alvor, em Portimão, para apresentar as medidas de política europeia que defendam e apoiem os pequenos produtores de agricultura familiar.

“Os agricultores estão muito desiludidos com os partidos tradicionais, que durante várias décadas dizem defender esta agricultura familiar, mas que não o fazem. Daí querermos debatermo-nos na Europa por medidas mais concretas de apoio a estes pequenos agricultores”, disse aos jornalistas Francisco Guerreiro, candidato do PAN - partido Pessoas-Animais-Natureza.

O cabeça de lista do PAN às eleições europeias e André Silva, porta-voz do partido e deputado, percorreram as cerca de duas dezenas de postos de venda de produtos agrícolas biológicos instaladas na zona ribeirinha de Alvor, onde distribuíram documentos e apresentaram algumas das medidas europeias defendidas pelo partido.

O candidato explicou que o objetivo da visita ao mercado que se realiza todos os domingos na zona ribeirinha de Alvor, “tem ver a com a sua importância a nível de agricultura familiar e mostrar que o partido tem propostas concretas para apresentar à Europa”.

“Queremos garantir que estes pequenos produtores, que beneficiam toda uma economia local, conseguem ter apoios comunitários para conseguir ter resiliência na sua atividade diária”, sublinhou.

Segundo o candidato, a escolha de Alvor, no concelho de Portimão, no distrito de Faro, para a ação de campanha, pesou também por ser uma vila piscatória, “atividade económica que tem problemas que necessitam de resolução, nomeadamente ao nível da sobrepesca”.

Francisco Guerreiro considera que “existe a incapacidade dos Estamos membros em chegarem a um acordo para terminarem com o problema da sobrepesca no espaço europeu”, para o qual defende uma “resposta mais clara e concisa dos riscos do aumento de sobrepesca”.

“Temos de ser audazes e perspicazes e falar diretamente com a comunidade piscatória e alertar para os perigos de ficarmos sem ‘stocks’ piscícolas. É importante que eles percebam que fazem parte da solução”, destacou o candidato do PAN, defendendo mais apoio para os pescadores para que estes “consigam realmente viver no dia a dia sem ter de pescar”.

O candidato aproveitou também a deslocação à vila de Alvor para falar de política ambiental, “mais concretamente de uma medida apresentada pelo partido, que é a possibilidade de recolha de resíduos plásticos do mar pelos pescadores”.

“Queremos que haja apoio à comunidade piscatória para retirar artes de pesca e resíduos plásticos do mar e que os consigam encaminhar para um sistema de resíduos. Temos que trazer os pescadores para esta temática da poluição marítima e fazer com estes resíduos consigam vir para terra e incorporem na economia circular, porque há uma poluição muito generalizada nos oceanos”, concluiu.

Por seu turno, André Silva, o deputado do PAN que acompanhou o cabeça de lista do partido às europeias, disse que as expectativas quanto a um resultado eleitoral “são boas, devido ao maior conhecimento do partido e ao reconhecimento do trabalho que tem sido feito”.

“Temos sentido ao longo dos últimos dias, um maior reconhecimento do trabalho e também o facto de serem cada vez mais as pessoas que pensam como nós e que aderem às ideias que temos para passar, nomeadamente de um partido com sensibilidade ambiental na Europa ”, destacou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.