A+ / A-

Contra os extremismos. CDS pede o terceiro lugar nas Europeias à frente do PCP e do BE

18 mai, 2019 - 12:22 • Isabel Pacheco

Nuno Melo quer o CDS "em terceiro" nas Europeias, à frente do PCP e BE que, diz, são forças políticas extremistas.
A+ / A-
Oiça a reportagem de Isabel Pacheco durante a visita do candidato do CDS, Nuno Melo, ao mercado de Ovar.

O cabeça de lista do CDS às europeias, Nuno Melo, não tem dúvidas que o voto da “direita da tolerância” seria um sinal “politico relevante” contra os extremismos.

“Quando se combate os extremismos temos de ter noção que os extremismos também estão cá”, alertou o eurodeputado que reforçou o apelo ao voto no CDS na “batalha” contra “quem na Assembleia da Republica ou parlamento europeu defenda regimes como o regime norte coreano, cubano ou venezuelano”.

O apelo foi deixado, este sábado, durante uma visita ao mercado municipal de Ovar onde Nuno Melo assumiu a ambição “realista” do CDS ser a terceira força politica com mais votos nas próximas eleições.

Antes, o centrista deixou o aviso ao PS e ao PSD de que “não há votos perpétuos nem vitórias garantidas” até porque, como lembrou Nuno Melo, “já ninguém vota porque se tem uma mãozinha fechada ou um símbolo cor de laranja”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.