A+ / A-

EasyJet quer acordo com militares para aumentar capacidade do aeroporto de Lisboa

17 mai, 2019 - 15:50 • Lusa

A companhia aérea diz que não consegue crescer em Portugal devido a restrições impostas pelas Forças Armadas ao aeroporto da capital.
A+ / A-

A companhia de aviação easyJet defendeu esta sexta-feira a urgência de fechar um acordo até setembro com os militares relativamente à libertação de espaço aéreo para aumentar a capacidade do aeroporto de Lisboa, já no verão de 2020.

Em declarações à agência Lusa, o diretor da easyJet para Portugal recordou que há já dois verões consecutivos (2018 e 2019) que a companhia regista um "crescimento zero" no aeroporto Humberto Delgado, devido aos constrangimentos de capacidade daquela infraestrutura, e avisou que há uma pressão crescente de destinos turísticos do leste do Mediterrâneo, para os quais Portugal arrisca perder terreno.

"Se não houver uma declaração de crescimento de capacidade para a Portela [até ao prazo limite de 5 de setembro], o verão de 2020 vai ser o nosso terceiro verão consecutivo com crescimento zero”, diz a companhia.

“A economia portuguesa não se pode dar a este luxo, especialmente quando estamos a começar já a sentir uma pressão de retoma no leste do Mediterrâneo. Vamos estar a perder oportunidades que já não vão voltar e isto será muito mau para a economia portuguesa", sustentou José Lopes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.