A+ / A-

Soflusa. Mais uma semana com perturbações na travessia do Tejo

17 mai, 2019 - 12:07 • Redação

Situação agrava-se com a greve dos mestres marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana.
A+ / A-

Mais uma semana com problemas nas ligações entre o Barreiro e Lisboa. Foram alargadas até ao dia 23 as perturbações na Soflusa, segundo o site da Transtejo. Esta situação está relacionada com a falta de barcos e de profissionais.

Mas a situação agrava-se com a greve marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana.

Os mestres da Soflusa anunciaram dois dias de greve parcial. São 3h/turno nos dias 23 e 24, quinta e sexta-feira da próxima semana. Além disso, no dia 23 entra em vigor o pré-aviso de greve às horas extraordinárias que pode prolongar-se até ao fim do ano.

Está a decorrer uma reunião entre a comissão de utentes do Barreiro e a administração da empresa. Antes de entrar para o encontro, José Encarnação disse à Renascença que vai pedir aos responsáveis da Soflusa “que adquiram mais um barco – porque tem possibilidade de o fazer - pois sem ele não é possível garantir a rotação suficiente; e faltam cerca de 30 trabalhadores, entre mestres, maquinistas, marinheiros e pessoal comercial”.

Contudo, esta semana, o Governo deu autorização das Finanças para contratar seis marinheiros.

Para esta tarde está marcado um protesto contra a supressão de ligações entre Lisboa e o Barreiro, que tem afetado os passageiros ao longo de toda esta semana. A concentração acontece a partir das 17h00, junto ao terminal da Soflusa, em Lisboa.

Mestres fizeram 4 mil horas extraordinárias em 2018

Em declarações à Renascença o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Fluviais e Costeiros, revelou que o ano passado os mestres da Soflusa fizeram quatro mil horas extraordinárias, o que na opinião de Carlos Costa, seria suficiente para pagar os vencimentos de oito novos trabalhadores.

Neste momento o quadro da Soflusa tem 24 mestres mas para garantir as escalas completas seriam necessários pelo menos mais quatro. No entanto só 21 estão no ativo, já três estão com baixa e um deles, prolongada.

O aumento do número de carreiras posto em prática desde o dia 1 de Abril, altura em que entraram em vigor os novos passes sociais, ainda obrigou a maior sobrecarga.

A empresa abriu concurso interno para quatro mestres, que vêm da carreira de marinheiro, mas ainda deverá ser insuficiente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.