A+ / A-
Europeias 2019

Rangel ataca socialistas europeus que acham que portugueses "gastam tudo em copos e mulheres"

17 mai, 2019 - 00:26 • Lusa com Redação

Paulo Rangel respondeu ao seu adversário do PS Pedro Marques, que elogiou a prestação que o candidato socialista à presidência da Comissão Europeia, o holandês Frans Timmermans.
A+ / A-

O candidato social-democrata às europeias Paulo Rangel afirmou, na quinta-feira, que os “amigos socialistas europeus” do seu adversário Pedro Marques são os que “querem cortar nos fundos” porque acham que os portugueses “gastam tudo” em “copos e mulheres”.

Paulo Rangel respondeu ao seu adversário do PS, Pedro Marques, que elogiou a prestação que o candidato socialista à presidência da Comissão Europeia, o holandês Frans Timmermans, teve no debate europeu com o adversário do PPE (família política que inclui o PSD e o CDS-PP), o germânico Manfred Weber.

“Portugal foi [um tema] muito importante no debate europeu. Timmermans foi claro em afirmar que se mudou aqui a forma de governar e que há mesmo uma alternativa que cresceu a partir de Portugal", defendeu Pedro Marques, durante uma ação de campanha eleitoral.

Numa sessão de esclarecimento no Instituto Politécnico de Viseu, com cerca de 400 pessoas, Paulo Rangel dedicou grande parte do seu discurso a procurar explicar quem é afinal Frans Timmermans, que “Pedro Marques tirou agora da cartola”.

Rangel referiu que o candidato socialista à presidência da Comissão Europeia é “do partido trabalhista holandês, foi ministro dos Negócios Estrangeiros no tempo da `troika´” e teve como colega de governo Dijsselbloem", o ex-presidente do Eurogrupo que proferiu afirmações polémicas sobre os portugueses no ano passado.

“Esse senhor Dijsselbloem foi o célebre socialista que veio dizer que aqui as pessoas do Sul e em particular os portugueses gastavam o dinheiro todo em copos e mulheres. E é por isso que eles nos cortam nos fundos”, declarou, ironizando que “esses amigos socialistas de Pedro Marques” é que são os “grandes amigos de Portugal”.

“Já ficou claro que não vale a pena vir aqui com trunfos, `jokers´ ou manilhas trazidas da Holanda para as eleições europeias porque nós já sabemos que a história dessas pessoas é achar que os portugueses gastam tudo em copos e mulheres, a história dessas pessoas, portanto, é dizer: ‘cortem nos fundos aos portugueses que eles só servem para pagar copos e mulheres’”, criticou.

Rangel declarou que o PSD tem “muito orgulho de pertencer ao PPE”, mas “não tem problema em criticar posições” daquela família política europeia se discordar delas, “ao contrário dos socialistas” que, acusou, “copiam o manifesto do Partido Socialista Europeu”.

“Nós pomos o interesse nacional à frente do interesse partidário”, declarou Rangel, deixando ainda outra crítica aos socialistas europeus: “se não há reformas na zona euro, se há entraves à reforma da zona euro, isso deve-se à família socialista”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    17 mai, 2019 aldeia 10:09
    Atacam-se uns aos outros,mas Todos querem continuar com o seu grande Tacho!................O que fizeram estes deputados pelo povo português?