A+ / A-
Europeias 2019

Nuno Melo pede demissão de ministra da Saúde. “Menos música, mas mais recursos nos hospitais”

16 mai, 2019 - 23:48 • Pedro Filipe Silva

No dia marcado pela notícia de que os hospitais de Faro e Portimão suspendem cirurgias durante seis dias, Nuno Melo aproveitou a sua passagem pelo Algarve para criticar Marta Temido.
A+ / A-

Depois de andar à volta das uvas sem grainha, na Herdade Vale da Rosa, em Ferreira do Alentejo, Nuno Melo desceu até Albufeira, no Algarve, para jantar com militantes.

O cabeça de lista do CDS às europeias aproveitou a ocasião para lembrar os problemas que existem atualmente na saúde. “Neste momento 44 mil doentes estão à espera de ser operados, para além do prazo limite previsto”, lembrou Nuno Melo.

O eurodeputado citou ainda Marta Temido que disse numa entrevista que quando está tensa ouve o hino da CGTP. “Queria dizer à senhora ministra da saúde que neste momento em Portugal tem todos os motivos para estar tensa. Mas os doentes têm muito mais razões para estarem tensos”, disparou Nuno Melo. "Os problemas de saúde não se resolvem com ideologia e hinos marxistas, resolvem-se com recursos. Os recursos que faltam todos os dias. Precisamos de menos hinos, menos música, mais dinheiro, mais médicos, mais pessoal hospitalar", afirmou o centrista.

Nuno Melo acabou mesmo por sugerir a demissão de Marta Temido. "Se calhar o que faz falta em Portugal é outro ministro da Saúde. Porque alguém tutelando a pasta, se permite dizer que das pessoas que morreram, necessitando cirurgia, cerca de 30% apenas não foram operadas para além do prazo devia ter vergonha.”, concluiu Melo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.