A+ / A-

Detido em França antigo líder histórico da ETA

16 mai, 2019 - 09:59 • Lusa com Redação

Josu Ternera, como é conhecido, estava fugido desde novembro de 2002.
A+ / A-

O ex-chefe político da ETA José Antonio Urrutikoetxea Bengoechea foi detido em França pela Guarda Civil espanhola em colaboração com a Direção-Geral de Segurança francesa, noticia a imprensa espanhola.

A detenção aconteceu durante a manhã na localidade de Sallanches, nos Alpes franceses, quando saia de casa para ir ao hospital.

Josu Ternera, como é conhecido, é acusado pela Justiça espanhola de ter estado envolvido no atentado de 11 de dezembro de 1987 em Saragoça, em que morreram 11 pessoas, entre as quais seis menores. Mais recentemente, foi acusado de crimes contra a humanidade.

Estava fugido desde novembro de 2002, apesar de organização separatista basca ETA ter anunciado oficialmente há um ano a sua dissolução total e o fim da sua atividade política, depois de dezenas de anos de atentados em que fez mais de 800 vítimas mortais.

A organização foi fundada em 1959, durante a ditadura de Francisco Franco, e fez uma série de atentados em Espanha e em França em nome da independência do País Basco espanhol e francês, assim como da região espanhola de Navarra.

A ETA já tinha renunciado à violência em 2011 e entregado em 2017 aquilo que assegurou serem as suas últimas armas.

A dissolução da ETA significou o fim do último dos grandes grupos terroristas europeus que, muito antes do jihadismo islâmico, lançaram ataques em todo o continente, principalmente nos anos setenta e oitenta do século passado.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • me too
    16 mai, 2019 11:18
    Histórico? Um assassino? Mais vale o Jack estripador. Nem é histórico. É lenda. A RR tornou-se reles.