A+ / A-

Matos Fernandes diz que é fácil ser ministro depois de Cristas

16 mai, 2019 - 07:00 • Lusa

Ministro do Ambiente acompanhou o candidato Pedro Marques num jantar-comício, em Almeirim, e visou a sua antecessora no cargo.
A+ / A-

O ministro João Matos Fernandes disse na quarta-feira que "é fácil" tutelar o Ambiente porque no anterior Governo, com Assunção Cristas, líder do CDS-PP, havia "um vazio" e era "tudo mau".

"Ser ministro do Ambiente é fácil porque antes de nós havia um vazio, ela própria [Assunção Cristas] já não se deve lembrar, mas foi ministra do Ambiente", disse o governante, acrescentando que antes "tudo era tão mau" que agora "é fácil" desempenhar o cargo.

Matos Fernandes, que acompanhou Pedro Marques num jantar comício em Almeirim, referiu que a sua expectativa é de que "vai ser ainda mais fácil com a vitória" nas europeias", já que a lista socialista tem "um enorme compromisso" com as matérias ambientais.

O ministro do Ambiente aproveitou para criticar a direita pela sua "visão retrógrada" de quem acha que as preocupações ambientais são "uma preocupação de somenos", atirando críticas não só ao CDS-PP, como ao PSD.

"O CDS ainda não entendeu o que é um dos verbos centrais dos acordo de Paris, que é o verbo adaptar", disse, acrescentando que, nesta matéria, o PSD "tem o pior dos registos".

O jantar-comício no concelho ribatejano de Almeirim, no distrito de Santarém, reuniu aproximadamente 900 pessoas e contou também com a participação do secretário-geral do partido, António Costa.

Pedro Ribeiro, presidente da Câmara de Almeirim, disse que a sala onde decorreu o jantar "é um talismã do PS", uma vez que sempre que ali foram realizadas ações, o partido ganhou eleições "com grandes resultados".

António Gameiro, presidente da federação do PS de Santarém, criticou o discurso "enrolado" da oposição , defendendo que António Costa já "indicou o caminho para um novo contrato social com a Europa".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Eduardo Nogueira
    16 mai, 2019 Porto de Mós 19:22
    Curiosamente, o ministro que o antecedeu foi Jorge Moreira da Silva... quando o Governo da PAF terminou mandato, Assunção era apenas ministra da Agricultura. Já este ministro tem-se notabilizado nuns quantos dossiers, uns que nada têm a ver ambiente: UBER v Taxis, o emprego para a namorada, o Secretário de Estado que nomeou o primo,... e outros em que, tendo tudo a ver com o ambiente, o ambiente foi o que menos contou, veja-se o caso das empresas poluidoras do Tejo que receberam uma advertência... Assim, o melhor era estar calado...
  • Paulo Fernandes
    16 mai, 2019 Montijo 12:58
    Que é como quem diz, também pode ser um mau ministro, mas basta não ser tão mau para ser considerado bom...Tá certo...