A+ / A-
Peru

Um aeroporto em Machu Picchu? "Logo que possível", diz Governo sob um coro de críticas

15 mai, 2019 - 14:32 • Redação

A maioria dos especialistas teme que a infraestrutura cause danos irreparáveis à ecologia e também às próprias ruínas incas. Autoridades garantem que o aeroporto é necessário.
A+ / A-

Já começaram os trabalhos de preparação do terreno para a construção de um aeroporto internacional a escassos quatro quilómetros das famosas ruínas incas de Machu Picchu, no Peru.

A obra tem sido alvo de muita contestação, com a maioria dos especialistas – incluindo arqueólogos e historiadores – a avisar que o impacto do aeroporto poderá matar a "galinha dos ovos de ouro" do turismo peruano, por causa dos danos causados pelos aviões ao sobrevoar as ruínas e dados os efeitos da construção e desenvolvimento na paisagem circundante.

“Esta é uma paisagem construída, há terraços e caminhos que foram desenhados pelos próprios incas. Criar um aeroporto aqui destruirá isso”, lamenta Natalia Maljuf, historiadora de arte na Universidade de Cambridge, que está a promover uma petição contra o empreendimento.

“Penso que não haverá um único arqueólogo ou historiador de importância a trabalhar na região de Cusco que não tenha assinado” a petição, garante Maljuf ao jornal britânico “The Guardian”.

Construído há 600 anos pelo poderoso império Inca, o Machu Picchu é um dos locais turísticos mais bem preservados do Peru e também um dos mais populares: em 2017, foi visitado por cerca de um milhão e meio de turistas, quase o dobro do limite recomendado pela UNESCO.

Ironicamente, ao mesmo tempo que prepara a construção de um aeroporto internacional para ajudar os turistas a chegar mais facilmente ao local, o Governo peruano anunciou a imposição de limites ao número de visitas a Machu Picchu, precisamente porque o excesso de pessoas estava a causar danos nas ruínas.

Os limites foram impostos após a UNESCO ter avisado que poderia incluir o local na lista de património ameaçado. Mas o anúncio da construção do novo aeroporto, obra a concluir até 2023, tem levado ao aumento de construção de infraestruturas hoteleiras, uma vez que se espera um crescimento no número de turistas.

O ministro das Finanças do Peru, Carlos Oliva, insiste que a construção é necessária. “O aeroporto vai ser construído logo que possível. Há uma série de estudos técnicos que apoiam a sua construção”, disse aos jornalistas no início deste mês.

Atualmente, a maioria dos turistas chega a Machu Picchu através do aeroporto de Cusco, que está nos limites da sua capacidade. Um aeroporto mais próximo da atração turística permitiria desanuviar Cusco e ligar várias cidades sul e norte-americanas ao local.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.