A+ / A-
Grande Porto

Operação "Prazo final". PJ detém sete suspeitos de fraude com fundos comunitários

15 mai, 2019 - 13:08 • Celso Paiva Sol

Ao todo, agentes da Judiciária e da Autoridade Tributária realizaram 22 buscas em seis concelhos do Grande Porto.
A+ / A-

A Polícia Judiciária (PJ) deteve, esta quarta-feira de manhã, na zona do Grande Porto, um grupo de sete pessoas por suspeitas de branqueamento de capitais, fraude fiscal qualificada, fraude para obtenção de subsídio e insolvência dolosa.

No âmbito da operação "Prazo Final", foram realizadas, ao todo, 22 buscas nos concelhos de Paredes, Paços de Ferreira, Vila Nova de Gaia, Vila do Conde, Santa Maria da Feira e Matosinhos.

De acordo com comunicado entretanto emitido pela Judiciária, está em causa um alegado esquema que permitiu acesso a três milhões e 100 mil euros em subsídios do programa Portugal 2020, através de candidaturas baseadas em faturação falsa.

Ainda de acordo com a PJ, o principal arguido é sócio-gerente de uma sociedade comercial do ramo do mobiliário e é acusado também de ter levado as suas empresa à insolvência, lesando o Estado português em mais de 10 milhões de euros.

A operação desta manhã envolveu quase uma centena de inspetores, tanto da Judiciária como da Autoridade Tributária.

No final de 2018, a PJ já tinha desmantelado uma rede suspeita de criar empresas fictícias para receber fundos da União Europeia. No âmbito dessa operação foram detidos quatro empresários e um vice-autarca.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.