A+ / A-
Europeias 2019

“Dizem que é a Marisa Matias a número 1” mas CDU trabalha mais

14 mai, 2019 - 19:12 • Pedro Filipe Silva

João Ferreira andou pelas ruas de Vila Franca de Xira, ouviu comparações e falou até num reforço da presença da CDU no Parlamento Europeu, mas sem se comprometer.
A+ / A-

Andar pelas ruas é dialogar com as pessoas e ouvir o bom e o menos bom. Na manhã desta terça-feira, o responsável por uma mercearia no centro histórico de Vila Franca de Xira, revelou ter ficado com a perceção que foi a eurodeputada do Bloco de Esquerda quem fez melhor trabalho. “Dizem que é a Maria a número 1.” João Ferreira rapidamente desafiou este senhor a ir ao site do parlamento europeu e ver o que cada eurodeputado fez.

O candidato da CDU diz não temer comparações. “Desejamos que elas se façam. É normal, nestas alturas, haver todo o tipo de desinformação e rankings com critérios subjetivos e não explicados para transmitir uma imagem diferente do que se passou". Perante este cenário João Ferreira insiste em mostrar o empenho e trabalho da CDU nos últimos anos. "Tenho dito que em perguntas à Comissão Europeia e ao Conselho Europeu fizeram mais os três eleitos da CDU do que todos os outros 18 deputados portugueses todos juntos. Procuramos de forma quotidiana trazer ao país aquilo que lá se vai decidindo e levar para o Parlamento Europeu aquilo que para nós são as soluções necessárias para resolver os problemas do país”, rematou o candidato comunista.

João Ferreira mostra ainda vontade em reforçar a presença da CDU em Estrasburgo.” O objetivo que temos e que nos batemos é por reforço da CDU no Parlamento Europeu.” Quanto a esse reforço, na não se compromete. “Pode ser um reforço em múltiplas formas. Pode ser em números de votos, em percentagens, em mandatos.” Questionado se considera uma derrota caso o número de de deputados seja menor neste mandato, João Ferreira prefere responder "vamos ver".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.