A+ / A-

​Pedro Marques comissário europeu? É "ruído"

14 mai, 2019 - 12:05 • Susana Madureira Martins

O cabeça de lista do PS às eleições europeias recusa dizer se fica o mandato todo de cinco anos como eurodeputado no dia em que teve em Évora a primeira acção de rua na campanha oficial.
A+ / A-

A acção de rua na praça do Giraldo, em Évora não estava no programa, foi combinada no jantar com os jornalistas na noite anterior, sob proposta de Carlos Zorrinho, o número sete da lista de candidatos do PS à Europa, para calar as críticas do PSD.

A acção fica organizada para as nove e meia da manhã e Pedro Marques chega dez minutos antes da hora combinada, tem sido, de resto, uma característica do candidato, a pontualidade. Com ele chegam alguns elementos da Juventude Socialista (JS), a mandatária nacional da candidatura, Filipa Maia e trazem panfletos e canetas.

Começa então a volta de meia hora à praça central de Évora, onde o candidato encontra, sobretudo, idosos sentados nos bancos em volta e a quem tenta fazer o apelo ao voto. Mas há quem resista e garanta que não liga "nada, nada, nada à política". Foi o caso de um homem a quem Pedro Marques pediu que não deixasse "de exercer o seu direito de voto".

Mais à frente, uma senhora sentada também num dos bancos da praça do Giraldo reconhece o "deputado do PS, não é?" e desabafa aos jornalistas que "eles prometem muito, mas quando apanham no poleiro não fazem nada, fazem mas é para se votar neles, mas depois fazem tudo igual". Pedro Marques não ouve nada disto e quando chega ao pé dela pede-lhe "um beijinho, já agora" e a dita senhora deu o beijinho e ficou muda, nada mais disse.

No final da mini-acção de rua Pedro Marques insiste que não anda escondido nesta campanha e que essa crítica "é própria de campanhas eleitorais, quando os outros partidos não têm nada para dizer", reforçando que "já fez dezenas de acções de rua"

Questionado pelos jornalistas sobre de onde vem a ideia de Paulo Rangel do PSD de que o cabeça de lista do PS pode vir a ser indicado para comissário europeu, Pedro Marques responde que "vem de muita vontade de fazer ruído na campanha" e que não valoriza "essas coisas" e o que "é preciso é esclarecer as pessoas", garantindo que é "candidato ao Parlamento Europeu" e que quer "obter uma grande vitória eleitoral" para o PS que considera ser merecida".

O que Pedro Marques não esclarece é se vai ficar no Parlamento Europeu (PE) durante os cinco anos de mandato como euro-deputado. A única coisa que diz poder garantir é que vai "ser candidato ao PE" e que "foi para isso" que foi "convidado", terminando abruptamente a conversa com os jornalistas com um "está bem? até já, já nos vemos na Embraer". E a caravana lá seguiu para a empresa de aeronáutica, na zona industrial de Évora.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.