A+ / A-

Pequim aumenta taxas sobre mais de 3.500 produtos importados dos EUA

13 mai, 2019 - 15:00 • Reuters

A China e os Estados Unidos estão envolvidos num braço-de-ferro sobre medidas protecionistas, tendo já aplicado tarifas alfandegárias de até 25% a milhares de produtos.
A+ / A-

A China ripostou esta segunda-feira às tarifas impostas pelos Estados Unidos às importações chinesas, aplicando aumentos entre 20 e 25% a quase 3.600 bens americanos.

As novas tabelas, que abrangem 5.140 produtos americanos, entram em vigor no dia 1 de junho. Desses, 2.493 passam a ter uma tarifa adicional de 25% e 1.078 passam a ter uma tarifa adicional de 20%.

Segundo a agência Reuters, os produtos afetados têm um valor de 60 mil milhões de dólares.

Segundo o Ministério das Finanças da China, esta é uma resposta direta ao protecionismo da administração de Donald Trump, que na passada sexta-feira ativou uma nova tarifa de 25% sobre mais de 5.700 produtos chineses.

“Esta ajustamento de tarifas adicionais é uma resposta ao unilateralismo e protecionismo dos Estados Unidos. A China espera que os Estados Unidos regressem ao rumo certo de comércio bilateral e de consultas económicas, e encontrem um meio-termo com a China”.

Donald Trump defendeu as novas tarifas americanas, dizendo que a China tinha violado o acordo anterior entre os dois países, embora a potência asiática o negue.

Os dois países têm negociações em curso para tentar chegar a um acordo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.