A+ / A-

Fátima. Cardeal Tagle pede que a voz de Jesus seja mais escutada

12 mai, 2019 - 23:35

"Estamos familiarizados com as vozes de pastores terrenos, de cantores, de estrelas de cinema, de publicitários, de políticos. Mas qual é a nossa familiaridade com a voz de Jesus?", questionou o arcebispo de Manila, durante a homilia da eucaristia que abriu as celebrações de maio, na Cova da Iria.
A+ / A-

O arcebispo de Manila, cardeal Luis Antonio Tagle, apelou, este domingo, em Fátima, a que se escute mais a voz de Jesus.

"Distraímo-nos frequentemente. Ignoramos a sua presença e a sua voz. Preferimos a proteção da riqueza, das armas, do poder e da glória terrestre. Hoje, perguntemos a nós próprios: deixaremos guiar-nos e proteger-nos por Jesus?", proclamou o cardeal filipino que preside à primeira peregrinação aniversária do ano, em Fátima.

"Na nossa vida de todos os dias, estamos seduzidos por outros pastores humanos, em cujas palavras mais facilmente acreditamos do que nas de Jesus. Estamos familiarizados com as vozes de pastores terrenos, de cantores, de estrelas de cinema, de publicitários, de políticos. Mas qual é a nossa familiaridade com a voz de Jesus?", questionou o cardeal Tagle, durante a homilia da eucaristia que abriu as celebrações.

"Seguimos os estilos e as tendências da moda, mas seguimos o caminho de Jesus e o seu modo de viver? Depositamos a nossa confiança nos pastores deste mundo, na sua proteção, mas muitos destes pastores abandonam-nos quando os seus interesses pessoais e as suas vidas são postos em causa", disse ainda o cardeal filipino, que é também presidente da Cáritas Internacional.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.