A+ / A-

Fazer obras em casa dá-lhe dores de cabeça? Imagine no Palácio de Buckingham

10 mai, 2019 - 15:50 • Redação

A ala Este do Palácio de Buckingham, em Londres, já está completamente vazia. Milhares de peças da Royal Collection foram movidas para outras salas emblemáticas do palácio britânico, por causa das obras.
A+ / A-

Todas as pessoas que já fizeram obras em casa sabem que é, muitas vezes, uma empreitada difícil. Empacota livros, arrasta móveis, salvaguarda objetos mais sensíveis... Agora imagine quando o cenário é um palácio real.

No último ano, a Casa Real Britânica tomou a decisão de remodelar esta primavera a ala Este do Palácio de Buckingham, a residência oficial da monarca britânica. No total, foram cerca de três mil peças da Royal Collection do Palácio de Buckingham que tiveram de ser movidas devido à remodelação desta ala.

Entre os objectos que tiveram de ser retirados para as devidas remodelações, contam-se 200 quadros, 1.100 itens de cerâmica e vidro, 100 espelhos e mais de 500 peças de mobília.

As obras tornaram-se prementes depois de alguns especialistas terem alertado para o risco provocado pelos cabos elétricos do palácio, com mais de 60 anos, e de uma caldeira elétrica que não estava em bom estado.

A maior parte dos objetos foi transferida para algumas moradias de membros da realeza e as restantes foram colocadas na as divisões do palácio Chinese Dining Room, Yellow Drawing Room e a Centre Room, até que a renovação da ala esteja pronta.

A ala Este é uma das mais emblemáticas alas do palácio, não só por esconder tesouros valiosos como pelo acesso à mediática varanda principal onde a família real comparece nos casamentos.

De acordo com a estimativa real, as obras na casa da Rainha Isabel II vão continuar nos próximos dez anos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.