A+ / A-
Eleições europeias

"Decida o seu futuro." O vídeo para levar os europeus a votar que está a bater recordes

10 mai, 2019 - 14:14 • Vasco Gandra, correspondente em Bruxelas

Não é habitual que um filme institucional alcance tal êxito: em dez dias conta já com mais de 100 milhões de visualizações.
A+ / A-

Com mais de 100 milhões de visualizações nas redes sociais nos primeiros dez dias, a curta-metragem do Parlamento Europeu sobre as eleições que vão decorrer entre 23 e 26 de maio nos 28 Estados-membros da UE tornou-se viral em pouco tempo.

Não é habitual que um filme para uma campanha institucional consiga tamanho êxito. Desde que foi lançado, a 25 de abril, o vídeo "Escolha o seu futuro", de cerca de três minutos, alcançou uma audiência sem precedentes.

Realizado pelo francês Frédéric Planchon, a curta-metragem é uma das peças-chave da campanha para as eleições europeias. Pretende chamar a atenção dos europeus para os muitos valores, emoções e responsabilidades que partilham enquanto cidadãos do bloco comunitário e fazer refletir sobre os motivos por que votamos e para a importância desse ato.

O filme começa mostrando uma série de mulheres em vários países da Europa no momento fulcral, primordial, em que dão à luz. Todos os nascimentos apresentados são filmagens documentais reais, tratando-se de bebés que nasceram entre fevereiro e março de 2019.

Primeiro, assiste-se à angústia, à ansiedade e à dor associadas ao parto. Depois, o nascimento e a fragilidade da vida, a felicidade e a emoção, o reencontro com a família. Finalmente, o regresso a casa e o futuro de uma vida por escrever.

O vídeo pretende funcionar como uma metáfora: o futuro que a grande família dos europeus, unida, pode construir dentro da casa comum que é a União Europeia. Daí a importância de votar para o Parlamento Europeu, numas eleições que vão justamente determinar a vida dos recém-nascidos que aparecem no filme.

"Cada um de nós pode deixar uma marca mas, juntos, podemos fazer toda a diferença. É por isso que votamos", conclui a menina que narra o filme.

Legendado nas 24 línguas oficiais da União Europeia, o filme foi também produzido em 31 linguagens gestuais. Uma versão de 35 segundos passará em cinemas de toda a UE até às datas das eleições.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    10 mai, 2019 Lisboa 14:53
    Pena é que quando o filme acaba e se acendem as luzes no cinema, todos verifiquem que a Realidade é completamente diferente e por muito que votem ... não mandam nem influenciam nada, pois as decisão são tomadas de forma opaca por burocratas não eleitos e/ou representantes eleitos que votam contra o sentir dos que os elegeram, e sempre de acordo com interesses que não são os dos comuns cidadãos Europeus. Se assim não fosse, qual a necessidade de fazer vídeos destes para apelar ao voto? Todos iam votar com um grande sorriso na cara, se se sentissem realmente representados e a sua vontade, valesse para alguma coisa. Era, ou não era?