A+ / A-
Porto

Jovem acusa agentes da PSP de lhe terem partido perna na Queima das Fitas

09 mai, 2019 - 22:51 • Lusa com Redação

Rúben Soares explica que a situação ocorreu às seis da manhã "quando a polícia fez um cordão para acompanhar a saída dos estudantes do Queimódromo" e que reagiu ao facto dos agentes da autoridade terem "adotado uma postura mais agressiva".
A+ / A-

Um jovem de 21 anos acusou esta quinta-feira agentes da PSP do Porto de lhe terem partido a perna direita, na sequência de um desacato à saída do Queimódromo, no Porto, estando a preparar a queixa.

Em declarações no Hospital Santo António, no Porto, para onde foi transferido após ter sido primeiro assistido no Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, Rúben Soares explicou ter "partido a tíbia e o perónio" da perna direita em resultado da agressão.

Descrevendo o sucedido, Rúben Soares disse que a situação ocorreu "cerca das 06h00 quando a polícia fez um cordão para acompanhar a saída dos estudantes do Queimódromo" e que reagiu ao facto dos agentes da autoridade terem "adotado uma postura mais agressiva" em resposta a um grupo de jovens que resistia a "sair por onde a polícia queria".

"Dirigi-me então a um polícia que conheço perguntando-lhe se aquela agressividade fazia sentido", obtendo como resposta "dois socos na cara" e a "uma biqueirada" que lhe provocou "a fratura da perna", relatou.

No chão, Rúben Soares viu-se "rodeado por polícias" que "impediram" que fosse "ajudado" pelas outras pessoas que se aperceberam do incidente, adiantou.

"Deixaram passar duas ambulâncias do INEM e só me deixaram entrar na terceira", acusou ainda o jovem, que teve de ser "suturado com quatro pontos na face" e que pelas 20h30, quando falou à Lusa, aguardava "para ser operado à perna".

Segundo Rúben Soares, o incidente deu-se "ainda no interior do recinto onde está a decorrer a Queima das Fitas do Porto" e que as câmaras "filmaram a agressão", tendo revelado que o seu advogado, Elton Franco, "já pediu o acesso às imagens" para preparar a queixa.

Elton Franco disse que vai esperar que Rúben Soares tenha alta hospitalar e, acompanhado do relatório médico, "preparar a queixa".

Comando Metropolitano da PSP do Porto não fez comentários.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.