A+ / A-

Portugal continental registou diminuição da área em seca meteorológica em abril

02 mai, 2019 - 08:12 • Lusa

A exceção são as regiões a sul do Tejo.
A+ / A-

Portugal continental registou em abril uma diminuição da área em seca meteorológica, com exceção das regiões a sul do rio Tejo, devido aos elevados valores de precipitação registados, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com índice meteorológico de seca (PDSI) disponível no site do IPMA, a 30 de abril verificou-se uma diminuição da área em seca meteorológica e da sua intensidade, mantendo-se apenas as regiões a sul do rio Tejo em situação de seca.

No final do mês, 27,9% de Portugal continental estava em seca moderada, 26,4% em seca fraca, 23,7% em normal, 18,3% na classe de chuva fraca e 3,7% em seca severa.

Segundo o IPMA, esta diminuição da área em seca meteorológica é justificada pela elevada quantidade de precipitação registada em abril.

No final do mês de abril, e em relação ao final de março, verificou-se uma recuperação significativa dos valores de percentagem de água no solo em especial nas regiões do Norte e Centro e, em particular, nas regiões do litoral.

Na região sul ainda se mantêm valores inferiores a 20%, em especial nas regiões do baixo Alentejo e Algarve.

O IPMA classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre “chuva extrema” e “seca extrema”.

De acordo com o IPMA, existem quatro tipos de seca: meteorológica, agrícola, hidrológica e socioeconómica.

A seca meteorológica está diretamente ligada ao défice de precipitação, quando ocorre precipitação abaixo do que é normal.

Depois, à medida que o défice vai aumentando ao longo de dois, três meses, passa para uma seca agrícola, porque começa a haver deficiências ao nível da água no solo.

Se a situação se mantiver, evolui para seca hidrológica, quando começa a haver falta de água nas barragens. Existe também a seca socioeconómica, que é considerada quando já tem impacto na população.

Além do índice de seca, o Boletim Climatológico do IPMA, disponibilizado pelo instituto, indica que o mês de abril em Portugal continental classificou-se como normal em relação à temperatura do ar chuvoso em relação à precipitação.

“O valor médio da quantidade de precipitação foi superior ao valor normal e corresponde a cerca de 140% do valor medio mensal. Foi o 5.º abril mais chuvoso desde 2000 (mais chuvosos em 2000, 2008, 2016 e 2018)”, segundo o relatório.

O mês de abril de 2019 em Portugal continental classificou-se como normal em relação à temperatura do ar e chuvoso em relação à precipitação.

O valor médio da temperatura média do ar foi inferior ao normal, sendo o 4.º valor mais baixo desde 2000.

O IPMA refere também que o valor médio da temperatura mínima do ar foi inferior ao normal, sendo o 3.º valor mais baixo desde 2000.

“O valor médio da temperatura máxima do ar foi próximo do valor normal, no entanto também foi um dos valores baixos dos últimos 20 anos”, é referido.

O Instituto destaca que entre os dias 3 e 11 de abril registaram-se temperaturas do ar inferiores ao normal, sendo de realçar os dias 4 e05 com anomalias de cerca de -5 graus Celsius.

Também de 23 a 26 de abril foram registados valores de temperatura do ar inferiores ao normal.

Já no final do mês (de 26 a 29) verificaram-se valores de temperatura muito superiores ao normal em particular da máxima.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.