A+ / A-
Brasil

​Governo de Bolsonaro censura anúncio destinado aos jovens

29 abr, 2019 - 15:46 • Redação

O diretor de Comunicação responsável pelo vídeo foi demitido por decisão do Governo.
A+ / A-

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, mostrou-se mais uma vez polémico. Desta vez, foi contra o discurso liberal de uma estatal brasileira, o Banco do Brasil, e vetou um anúncio que trazia pessoas dos mais diferentes estilos.

No vídeo em questão aparecem jovens mulheres negras, uma com cabelo rapado, outra com um penteado rastafari, um homem com cabelo cor-de-rosa, entre outras pessoas, todas num ambiente festivo.



Para o diretor de arte Luiz Cavalheiros a intenção da propaganda era uma tentativa clara de conquistar um público mais jovem, permitindo que a instituição estatal competisse com outros bancos digitais.

Segundo o colunista Lauro Jardim, Bolsonaro envolveu-se pessoalmente no caso e procurou o presidente do banco, Rubem Novaes, para retirar o anúncio do ar, notícia o jornal “O Globo”.

A informação avançada pelo jornal diz que logo depois da reclamação de Jair Bolsonaro, o diretor de Comunicação e Marketing do Banco do Brasil foi demitido.

Rubem Novaes admitiu que Bolsonaro não gostou do anúncio, mas que se mostrou de acordo com ele. “O Bolsonaro e eu concordamos que o filme deveria ser recolhido. A saída do diretor é uma decisão de consenso, inclusive com a aceitação do próprio”, disse em comunicado divulgado pelo banco.

Na passada sexta-feira, o Governo brasileiro informou que todas as peças publicitárias das empresas estatais, tais como os correios e a Petrobras, deverão ser submetidas a uma votação da Secretaria de Comunicação Social (Secom), controlada pelo ministro da Secretaria do Governo, general Santos Cruz.

“Em atendimento à decisão estratégica de maximizar o alinhamento de toda ação de publicidade do Poder Executivo federal, comunicamos que a partir desta data o conteúdo de todas as ações publicitárias, inclusive de natureza mercadológica (…) deverá ser submetido para conformidade prévia da Secom [Secretaria de Comunicação da Presidência]”, diz o texto do e-mail, assinado por Glen Lopes Valente, secretário de Publicidade e Promoção da Secom.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    20 jul, 2019 11:16
    Os marxistas, artistas ou não, não suportam que Bolsonaro, através de eleições democráticas, esteja à frente dos destinos do Brasil. Mas esses mesmos, nunca criticam o comportamento do ditador e ignorante Maduro, Presidente da Venezuela.