A+ / A-

Amador elimina Ronnie O'Sullivan na abertura do Mundial de snooker

23 abr, 2019 - 14:28 • Redação

O'Sullivan é considerado um dos melhores jogadores de snooker da história, com cinco título de campeão mundial na carreira.
A+ / A-

Ronnie O'Sullivan, cinco vezes campeão mundial de snooker, foi eliminado, esta terça-feira, na primeira ronda do Campeonato do Mundo, pelo primeiro amador na história da prova, James Cahill.

"The Rocket", como é conhecido, caiu por 10-8 frente a Cahill, no Crucible Theatre, em Sheffield, local que recebe o Mundial desde 1977 e que se tornou em local de culto para os adeptos da modalidade.

O "número um" do mundo, posição a que regressou no dia 8 de abril, tinha terminado a primeira sessão da partida a perder por 5-4, na segunda-feira, e não conseguiu evitar a derrota, depois de estar empatado 8-8.

James Cahill, de apenas 23 anos, foi profissional entre 2013 e 2017 e o primeiro amador a entrar na prova, depois de ter recebido uma "wildcard" para disputar a fase preliminar da prova.

Cahill venceu Michael Judge, Michael Holt e Andrew Higginson e surpreendeu mais ainda ao bater O'Sullivan. Ao chegar à terceira ronda de qualificação, Cahill garantiu o estatuto de profissional para as próximas duas temporadas.

"Sempre acreditei em mim mesmo. Sempre acreditei que podia vencer qualquer um. Hoje mostrei isso", disse o jovem inglês. Na segunda ronda da prova, os oitavos de final, Cahill vai medir forças com Stephen Maguire, atualmente 15º na hierarquia e antigo número dois mundial.

O'Sullivan venceu o Mundial de snooker cinco vezes, em 2001, 2004, 2008, 2012 e 2013. Aos 43 anos, detentor de outros 31 troféus na carreira, não era eliminado na primeira ronda do Mundial desde 2003, quando perdeu frente ao jogador de Hong Kong Marco Fu, por 10-6.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.