A+ / A-
FC Porto

Pinto da Costa sonha com a construção de uma academia na cidade do Porto

23 abr, 2019 - 12:50 • João Fonseca

Fernando Cerqueira, presidente da Comissão de Apoio à Recandidatura de Pinto da Costa recorda a importância do líder dos dragões e o que mudou desde que tomou conta dos destinos do clube, há precisamente 37 anos.
A+ / A-

Há 37 anos, Pinto da Costa foi empossado como presidente do FC Porto e desde essa data nunca mais deixou a liderança de um dos maiores clubes portugueses. Nesta data, Fernando Cerqueira, presidente da Comissão de Recandidatura do dirigente azul e branco, assegura que no final desta temporada ou em setembro, será apresentada nova candidatura.

Fernando Cerqueira sente que "o anseio de todos os portistas" é que Pinto da Costa permaneça no cargo e que concretize o sonho de construir "uma academia na cidade ou nos arredores" e garante que há negociações para tal.

"O presidente nunca está cansado e quer sempre mais e melhor para o clube. Um sonho do FC Porto, e não sei se existirá condições financeiras para tal, apesar de confiar que o presidente tem inteligência e estratégias para dar a volta, é construir uma academia na cidade do Porto. Sem poder dar muitos pormenores, já tivemos conversas com o presidente da Câmara Municipal do Porto", disse em declarações a Bola Branca.

O rosto da Comissão tem falado com o líder portista e sente que este "nunca está cansado" e que mantém a "paixão" e o desiderato de conseguir ainda "mais títulos" para o emblema da cidade Invicta.

O futuro é ainda uma incógnita, mas Fernando Cerqueira sustenta-se na condição aglutinadora de Pinto da Costa juntos das hostes portistas, para justificar que a chegada de outros candidatos se concretize no imediato, sem esquecer que as eleições no FC Porto acontecerão no próximo ano de 2020.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.