A+ / A-

Tragédia na Madeira. Identificação dos mortos concluída nos próximos dias

20 abr, 2019 - 12:22 • Redação

Partiu este sábado de manhã o avião com 12 feridos alemães do acidente com o autocarro que matou 29 pessoas.
A+ / A-

Será concluída nos próximos dias a identificação dos corpos das vítimas mortais resultantes do acidente com um autocarro turístico na Madeira. A garantia foi dada neste sábado pelo secretário regional da Saúde, Pedro Ramos.

“Toda a identificação ‘post mortem’ está concluída. Agora falta a identificação ‘pré mortem’”, afirmou aos jornalistas.

“As autópsias estão concluídas e sentimo-nos satisfeitos por ter tido esta rapidez, de modo a que os familiares possam fazer o luto”, acrescentou.

Quanto à trasladação dos corpos, ainda não tem data definida, mas será o mais breve possível e “da responsabilidade do Governo português”, como já tinha anunciado o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

O processo referente às 29 vítimas mortais do acidente está a ser acompanhado por “alguns elementos das autoridades alemãs”. Do continente, “tivemos 11 colegas da medicina legal nacional” para concluir as autópsias no mais curto espaço de tempo, “o que se conseguiu 48 horas depois, que é extremamente importante”, sublinhou o secretário regional.

Feridos a caminho da Alemanha

Pedro Ramos falava aos jornalistas no aeroporto da Madeira – Cristiano Ronaldo, donde, este sábado de manhã, partiu um avião com destino a Colónia, na Alemanha, com 12 feridos a bordo.

No Funchal, ficou apenas uma alemã, “politraumatizada, com traumatismo cervical a abdominal” e que, por isso, não reunia as condições para viajar, explica o secretário regional da Saúde.

A operação de transferência dos doentes terminou às 10h45 e seguiu os procedimentos estipulados, tendo-se realizado no menor tempo possível.

“A Força Aérea alemã queria que a operação não durasse muito tempo. Cada doente saiu com intervalo de 20 minutos do hospital”, indicou Pedro Ramos aos jornalistas.

Dos doentes que agora estão a caminho do seu país natal, um pertence aos cuidados intensivos e foi sedado para fazer a viagem, de acordo com as regras existentes para este tipo de transporte.

“Tivemos todos os doentes acompanhados por uma enfermeira e os que inspiram mais cuidados são acompanhados por dois médicos dos cuidados intensivos e duas enfermeiras” da mesma secção, adiantou o secretário da Saúde.

O avião vai aterrar em Colónia, onde os “feridos ficarão num hospital de trauma”, para depois, consoante a evolução da situação clínica, serem distribuídos pelas zonas de residência.

No que toca aos feridos portugueses, o motorista do autocarro e a guia turística, encontram-se estáveis e sem inspirar cuidados, mas ainda não há data para a alta hospitalar.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.