A+ / A-
Barómetro APED

Consumidores estão a gastar mais. Televisões e smartphones foram os mais vendidos em 2018

17 abr, 2019 - 18:09 • Sandra Afonso

Em ano de mundial de futebol, as televisões foram um dos produtos com mais saída. Mas as famílias estão a comprar mais, um pouco de tudo. Ainda assim, continuam a preferir marcas brancas e procuram promoções.
A+ / A-

Em 2018 as vendas a retalho cresceram 3,4%, para quase 21 mil milhões de euros. O sector não alimentar foi o que mais contribuiu.

São dados do barómetro de vendas da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), divulgado esta quarta-feira. No retalho alimentar registou-se um aumento de 2,8%, para os 12.403 milhões de euros, enquanto o não alimentar subiu as vendas em 4,3%, atingindo os 8.542 milhões, no ano passado.

No ano em que se assistiu ao mundial de futebol, as vendas de produtos como a eletrónica de consumo, onde se incluem as televisões e colunas de som, subiram 4,2%, para cerca de 360 milhões de euros.

Os portugueses continuam também fiéis ao consumo de equipamentos de telecomunicações, em 2018 as vendas aumentaram mais de 9,5%, para quase 590 milhões. Em particular, os smartphones, subiram 8%.

Segundo a APED, o crescimento das vendas de casas e do alojamento local também animaram a venda de pequenos e grandes eletrodomésticos, que registaram aumentos na ordem dos 7%.

No sector alimentar, os congelados foram os que aumentaram mais as vendas (mais 6%).

As promoções, já habituais no sector alimentar, estão agora a aumentar entre os restantes produtos e já representam mais de 46% das vendas.

As marcas brancas continuam a ser as preferidas, normalmente mais baratas, representaram mais de 66% das vendas.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.