A+ / A-

GNR e PSP acompanharam quase meia centena de reabastecimentos

17 abr, 2019 - 15:10 • Lusa

Esses 48 abastamentos de combustíveis e gás foram divididos pelo Aeroporto Humberto Delgado em Lisboa, Aeroporto de Faro, hospital de Portimão, outro para a unidade hospitalar de Olhão e outro ainda para o concelho de Alpiarça.
A+ / A-

Veja também:


O Governo anunciou esta quarta-feira que durante a noite foram assegurados 48 abastecimentos para os aeroportos de Lisboa e Faro e para os Hospitais de Portimão e Olhão em veículos conduzidos por elementos da GNR e da PSP.

"Durante esta noite foram assegurados 48 abastecimentos para os aeroportos de Lisboa e Faro e para as unidades de abastecimento de gás dos hospitais de Portimão e Olhão, bem como para o concelho de Alpiarça, em veículos de transporte de mercadorias perigosas conduzidos por elementos da GNR e da PSP", indica um comunicado do Ministério da Administração Interna.

Esses 48 abastamentos de combustíveis e gás foram divididos pelo Aeroporto Humberto Delgado em Lisboa (25), outros 20 camiões-cisterna saíram de Loulé para o Aeroporto de Faro e de Sines saiu um camião para o hospital de Portimão e outro para a unidade hospitalar de Olhão e outro ainda para o concelho de Alpiarça.

A nota refere também que, na sequência da Situação de Alerta, foram já realizadas pela GNR e pela PSP 24 escoltas a 67 viaturas de transporte de matérias perigosas nas regiões do Porto, Lisboa, Santarém, Setúbal e Faro.

A Situação de Alerta foi declarada para vigorar entre terça-feira passada e o dia 21 (domingo de Páscoa) para Portugal continental, "na sequência da constatação do incumprimento da Portaria nº117-A/2019, de 16 de abril, que efetiva a requisição civil dos trabalhadores motoristas em situação de greve".

Está a ser afetado/a pela crise dos combustíveis? Partilhe connosco o que viu e viveu deixando o seu feedback nos comentários ou enviando as suas imagens para online@rr.pt

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.