A+ / A-

Na iminência de ser preso, antigo Presidente do Peru comete suicídio

17 abr, 2019 - 14:32 • Redação

Acusado de ter aceitado subornos da brasileira Odebrecht, Alan García dizia estar a ser vítima de perseguição política.
A+ / A-

O antigo Presidente do Peru, Alan Garciá, morreu esta quarta-feira na sequência de uma tentativa de suicídio, pouco antes de a polícia chegar a sua casa para o prender por suspeitas de corrupção.

Transportado para o hospital Casimiro Ulloa, na capital peruana, Lima, García passou algumas horas em estado crítico até ter sucumbido ao ferimento, avançaram fontes do seu partido, citadas pelas agências internacionais, por volta das 16h30 em Lisboa.

O antigo chefe de Estado era acusado de aceitar subornos da Odebrecht, empresa brasileira de construção civil que está sob investigação na Operação Lava Jato.

García, que foi Presidente do Peru entre 1985 e 1990 e novamente entre 2006 e 2011, rejeitou sempre as acusações, dizendo que estava a ser vítima de "perseguição política".

Os investigadores acusavam-no de ter aceitado subornos da Odebrecht durante o seu segundo mandato, no âmbito de um projeto para a construção de uma linha de metro em Lima.

A Odebrecht, por seu turno, já admitiu que pagou quase 30 milhões de dólares em subornos a autoridades no Peru desde 2004.

[notícia atualizada às 16h40]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.