A+ / A-

Crise dos combustíveis. ​Governo declara "situação de alerta" e determina medidas excecionais

16 abr, 2019 - 20:13 • Rui Barros, com Lusa

Governo reconhece "crise energética" e eleva o grau de prontidão e resposta operacional das forças de segurança.
A+ / A-

Veja também:


Os ministros da Administração Interna e do Ambiente e da Transição Energética declararam esta terça-feira a "situação de alerta" devido à greve nacional dos motoristas de matérias perigosas, implementando medidas excecionais para garantir os abastecimentos.

Esta situação de alerta, para o período compreendido entre hoje, terça-feira, e até às 23h59 do dia 21 de abril, determina a "elevação do grau de prontidão e resposta operacional por parte das forças e serviços de segurança e de todos os agentes de proteção civil", pode ler-se em nota do executivo.

Em delcarações aos jornalistas, o ministro Adjunto e da Economia acrescentou ainda que, para além da mobilização dos agentes, o estado de alerta "habilita todos os condutores de veículos pesados a assegurarem o transporte destas mercadorias".

Significa isto que qualquer pessoa com a habilitação que lhe permita conduzir um camião de transporte de combustível passa a ser obrigado a responder às ordens da Proteção Civil.

O Governo determina também a "declaração de reconhecimento de crise energética, que acautele de imediato níveis mínimos nos postos de abastecimento, de forma a garantir o abastecimento de serviços essenciais, designadamente para forças e serviços de segurança, assim como emergência médica, proteção e socorro".

Com isto, o Governo quer salvaguardar as prioridades em matéria de abastecimento de combustível a forças de emergência, de segurança e ainda a gerir melhor a disponibilidade de combustível dos nossos postos de abastecimento.

Reservas de segurança "integralmente respeitadas"

No parlamento, e perante os jornalistas, o ministro Siza Vieira garantiu ainda que "as reservas de segurança" estão "integralmente respeitadas".

"O país tem combustível armazenado para poder funcionar. Aquilo que estamos a falar é da movimentação desse combustível", disse o ministro da Economia.

O ministro apelou ainda à serenidade dos portugueses, garantindo que "o Governo mantêm-se atento" e que "pretende assegurar que as operações de abastecimento sejam retomadas o mais rapidamente possível".

Está a ser afetado/a pela crise dos combustíveis? Partilhe connosco o que viu e viveu deixando o seu feedback nos comentários ou enviando as suas imagens para online@rr.pt

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joao Almeida
    16 abr, 2019 20:25
    no pais do Governo/familiar tudo corre bem mas o governo/familiar só reage a crise nunctudo anda bema age de forma preventiva porque acha que é uma forma de agir dos fracos .....tudo anda bem no reino de Costa