A+ / A-
Combustíveis em falta

Marcelo pede "diálogo" entre Governo e motoristas de matérias perigosas em greve

16 abr, 2019 - 18:09 • Redação

Presidente diz que a "grande preocupação é estabilizar a situação".
A+ / A-

Veja também:


O Presidente da República pede ao Governo que avance no diálogo com o sindicato dos motoristas de matérias perigosas em greve.

Em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo do Sousa disse estar em contacto com o primeiro-ministro em relação a esta situação, dizendo que está a acompanhar "com preocupação" a situação que já terá colocado metade dos postos de abastecimento do país sem combustível.

"Tenho acompanhado o esforço que está a ser feito para normalizar essa situação, independentemente depois do problema laboral, que é um problema entre privados e também do exercício do direito constitucional à greve, que espero que venha a ter um diálogo que permita também uma evolução", disse o chefe de Estado, em declarações aos jornalistas após uma viagem de elétrico em Lisboa com a sua homóloga da Estónia, que se encontra em visita de Estado a Portugal.

Apesar da preocupação, Marcelo Rebelo de Sousa diz que, do Governo, o que lhe chega é "a convição de que tudo está a ser feito para recuperar esse tempo que entretanto decorreu".

O Presidente não deixou de lembrar, no entanto, as "muitas famílias têm a tradição de ir à terra passar com mais familiares", algo que poderá não acontecer caso a situação não seja resolvida a tempo.

A greve nacional dos motoristas de matérias perigosas, que começou às 00h00 de segunda-feira, foi convocada pelo Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), por tempo indeterminado, para reivindicar o reconhecimento da categoria profissional específica.

Dada a falta de combustível que se começou a verificar um pouco por todo o país, o Governo aprovou uma requisição civil pelo facto de a greve afetar "o abastecimento de combustíveis aos aeroportos, bombeiros e portos, bem como o abastecimento de combustíveis às empresas de transportes públicos e aos postos de abastecimento da grande Lisboa e do grande Porto”.

Nas últimas horas tem-se verificado uma corrida aos postos de abastecimento. Há até voos a serem desviados para Espanha para abastecerem.

Após a requisição civil, os militares da GNR mantiveram-se de prevenção em vários pontos do país para que os camiões com combustível pudessem abastecer e sair dos parques sem afetarem a circulação rodoviária.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.