A+ / A-
Notre Dame

Trump recomenda combate aéreo. Macron fala de “emoção de toda uma nação”

15 abr, 2019 - 20:22

Autoridades francesas respondem à sugestão de Trump. Marcelo Rebelo de Sousa e políticos portugueses associam-se a momento de tristeza pelo incêndio de Notre Dame.
A+ / A-

Veja também:


Várias figuras públicas mundiais, sobretudo francesas, tem-se manifestado na rede social Twitter para lamentar a tragédia do incêndio na Catedral de Notre Dame.

O presidente francês Emmanuel Macron fala de “emoção de toda uma nação”.


Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, também lamenta a tragédia e sugere que se faça um ataque aéreo às chamas.


Uma sugestão que já mereceu resposta por parte das autoridades francesas, esclarecendo que uma quantidade de água lançada por avião ou helicóptero podia danificar ainda mais a estrutura.


Do Reino Unido já surgiu a reação da primeira-ministra britânica. Theresa May garante que "os pensamentos esta noite estão com o povo de França e com os serviços de emergência que combatem o incêndio na catedral".

O presidente da Comissão Europeia, Jean Claude-Juncker garante estar a acompanhar a situação ao minuto e partilha com a nação francesa as emoções do momento.


"Notre Dame de Paris é a Notre Dame de toda a Europa. Hoje estamos todos com Paris", escreveu no Twitter o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.


De Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou um "abraço sentido" numa mensagem ao Presidente francês, Emmanuel Macron, em que lamenta o incêndio na Catedral de Notre-Dame de Paris.

"Caro Presidente Macron, meu Amigo: Uma dor que nos trespassa o olhar e logo nos marca a alma, Paris sempre Paris ferida na sua Catedral em chamas, um símbolo maior do imaginário coletivo a arder, uma tragédia francesa, europeia e mundial", lê-se na mensagem, divulgada no portal da Presidência da República na Internet.

Marcelo Rebelo de Sousa despede-se de Macron enviando-lhe "de Lisboa um abraço sentido".

Também a presidente do CDS/PP, Assunção Cristas, também já reagiu ao incêndio em Paris. "A acompanhar com grande tristeza o incêndio devastador na belíssima Notre-Dame", escreveu no Twitter.


Também o primeiro-ministro António Costa já lamentou o "terrível incêndio" de Paris, garantindo que já manifestou a sua solidariedade com o Presidente da República francês e com a presidente da Câmara de Paris.


Também a ministra portuguesa da Cultura, Graça Fonseca, enviou uma mensagem de solidariedade ao seu homólogo francês, Franck Riester, pelo incêndio na catedral de Notre-Dame, em Paris, que considerou um "momento terrível para França e para o mundo".

"Este é um momento terrível para França e para o mundo", escreveu Graça Fonseca, na mensagem.

"Quero exprimir a nossa sincera solidariedade com França e consigo, em particular, e dar conta da disponibilidade do Governo português no apoio às autoridades francesas", escreveu a ministra portuguesa da Cultura, na mensagem pessoal.

O incêndio na catedral começou cerca das 18h50 locais (17h50 em Portugal) e, segundo o porta-voz do monumento, André Finot, toda a estrutura da Notre-Dame de Paris está a arder.

Cerca de uma hora depois de ter começado o incêndio, o pináculo de Notre-Dame desmoronou-se.

Segundo os bombeiros, o incêndio terá começado no sótão da catedral, o monumento histórico mais visitado da Europa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.