|
A+ / A-

Relato

​“Temos de reconstruir. Notre Dame não pode ficar de rastos”

15 abr, 2019 - 20:00 • Redação

Português vereador na Câmara de Paris afasta a hipótese de atentado e acredita que fogo terá deflagrado na zona da catedral que estava em obras.

A+ / A-

Veja também:


O vereador português da Câmara de Paris, Hermano Sanches Ruivo, garante que entre os parisienses já se fala na reconstrução da Catedral de Notre Dame.

“Estamos mais que tristes”, diz o português em declarações à SIC. “Temos de reconstruir, Notre Dame não pode ficar de rastos.”

Sanches Ruivo lembra que o telhado da catedral, construída no século XII, é mais recente, datando do século XIX. “Já houve outros incêndios, já houve outras catástrofes, Notre Dame terá de sobreviver a esta”, diz.

Nestas declarações, Sanches Ruivo garante que até ao momento “não há relato de feridos” e que as manobras de evacuação fizeram-se com rapidez, embora com “dificuldade devido ao elevado número de pessoas”.

“É uma catástrofe no monumento parisiense mais visitado”, diz Hermano Sanches Ruivo, sublinhando que a Catedral construída no século XII fica numa dos “espaços mais bonitos de Paris”.

Sobre a origem do incêndio, o vereador diz que parece estar afastada a hipótese de atentado. “O que é muito mais provável é que o incêndio tenha começado na zona em obras”, admite aludindo à possível ocorrência de um curto-circuito.

Hermano Sanche Ruivo refere ainda que há um plano detalhado para um cenário destes e que não se coloca a questão de falta de meios. O principal problema, diz, está relacionado com o tipo de materiais que se encontram na catedral e que dificultam os momentos de combate às chamas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.